sexta-feira, 31 de outubro de 2008

DIRECÇÃO COMERCIAL DE LUXO

.
O Ministro Pinho (o do Allgarve e West Coast) já tinha avisado, em declarações ao 'Expresso', que este governo era uma direcção comercial de luxo.
A intervenção de Sócrates na cimeira ibero-americana confirma-o (recorto do DN):

Sócrates compara 'Magalhães' a Tintim

Cimeira Ibero-Americana. Foram dez minutos a falar do "verdadeiro computador ibero-americano". O primeiro- -ministro português juntou o tema deste ano, a juventude, com o da cimeira de 2009, as novas tecnologias, e fez uma promoção entusiasmada do portátil produzido pela JP Sá Couto

Uma ideia para ibero-americanos "dos 7 aos 77 anos"José Sócrates chegou a empunhar o Magalhães, mostrando-o bem às duas dezenas de chefes de Estado e de Governo que o ouviam discursar sobre o "verdadeiro computador ibero-americano". Mas para estes não era preciso. Quando se sentaram para a segunda sessão desta cimeira ibero-americana já tinham um dos portáteis da JP Sá Couto na mesa. E alguns já até o tinham experimentado quando o primeiro-ministro português começou a falar, centrando toda a sua intervenção neste produto português.

PORREIRO, PÁ

.
Li, transcrito no blogue 'ENTRE AS BRUMAS DA MEMÓRIA', um texto repugnante (artigo?, crítica?) assinado por José Casanova e publicado no jornal 'Avante!' online e posteriormente retirado (autocrítica?, vergonha tardia?) sobre a historiadora Irene Pimentel e o seu último trabalho - uma biografia de um inspector da PIDE.

Não é preciso ser bruxo para saber que os assessores de Sócrates também leram 'a coisa' e a terão apresentado ao seu arrogante chefe com um título: 'aqui está a oposição de esquerda no seu melhor' e também não será difícil adivinhar o comentário: 'porreiro, pá'.

PM

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

UM IMENSO ADEUS


Com um imenso adeus me estou a despedir de alguns milhares de livros. Alguns deles, companheiros de dezenas de anos, outros, amigos de data recente.
Não lhes lamento o destino. Ficarão todos em boas mãos (de familiares próximos e queridos, amigos verdadeiros, leitores da biblioteca municipal de Beja). Comigo, e até ao inevitável dia do forno crematório, ficarão os meus livros de cabeceira -que são muitos, felizmente.
Está cumprida a primeira fase do plano e entrei agora numa segunda triagem que aproveito para, inspirado nessa personagem ímpar de ManuelVasquez Montalban -Pepe Carvalho- (sem, no entanto, lhes destinar a lareira) me despedir de cada um deles com um comentário, um último olhar, um folhear corrido para recordar uma frase, um verso, um episódio, coisas assim...
Há pouco, topei «O Crocodilo que Voa» - Entrevistas a Luiz Pacheco e lá fui eu reler a parte final de uma entrevista, de 1995, para a revista «Ler»:
Jornalista (João Paulo Cotrim): Mensagem para as novas gerações?
Luiz Pacheco: Puta que os pariu!
Toma...
PM

PERIGOSAS ENCENAÇÕES

.
Macacos me mordam se este relato do JN não me faz lembrar os gloriosos tempos da Legião Portuguesa:

Com ameaças e impropérios. Assim foi recebido esta quarta-feira pelos estivadores do Porto de Lisboa, junto à Câmara Municipal, Sousa Tavares, líder do movimento de cidadãos contra o alargamento do terminal da Doca de Alcântara.
Cerca de 200 trabalhadores aguardaram a chegada do escritor, aos Paços do Município de Lisboa, pelas 15 horas, para o insultar e tentar coagir fisicamente. "Vai mas é escrever livros para o Porto" ou "javardo" foram as frases disparadas violentamente, em uníssono, contra Miguel Sousa Tavares, que contou com a protecção da Polícia Municipal.
O escritor e jornalista tinha sido convidado pelo presidente de Câmara, António Costa (PS), para participar na discussão sobre o alargamento do Porto de Lisboa, como representante do movimento de cidadãos "Lisboa é das pessoas. Mais contentores, não", que lançou uma petição, onde pedem a revogação do decreto-lei que prevê não só a triplicação do terminal de contentores de Alcântara, como a renovação da concessão de exploração da Liscont [do grupo Mota-Engil] até 2042.
Sousa Tavares acabou, uma hora depois, por abandonar a reunião pública quando se apercebeu que estava prevista uma apresentação prolongada do projecto de alargamento de Alcântara, a cargo de Manuel Frasquilho, presidente da Associação do Porto de Lisboa (APL). "Não fui convidado para uma sessão de propaganda da APL. Ainda se mostrassem o contrato que assinaram", alegou, considerando que o protesto dos trabalhadores não passava de uma acção concertada.

Pois é, faz lembrar mas os tempos são outros: já não há Tribunais Plenários, polícia política, censura. E existe, até, este 'submundo' da blogosfera onde, em exercício livre de cidadania, se pode denunciar os senhoritos do poder e dos interesses e mostrar solidariedade com aqueles que, como Miguel Sousa Tavares, corajosamente, os enfrentam.

É o que faço agora mesmo.

PM

O MURO DA VERGONHA

.

Isto mete Governo, Câmara, Mota-Engil, Jorge Coelho, estivadores, alfacinhas (genuínos e enxertados), etc., etc., etc. É assinar antes que seja tarde:



http://www.gopetition.com/online/22835.html

PM

terça-feira, 28 de outubro de 2008

DO TUA AO TGV

.
Assim se apresentava a via férrea: uma curva com medidas desadequadas, defeitos de alinhamento, empenada, travessas com mais de 40 anos e as mais novas com 18.
E o material circulante: automotora com problemas nas rodas, com falta de lubrificação e pouco amortecimento.

Lido assim, até dá vontade de rir. O pior é que este desleixo na linha do Tua custou, no último ano e meio, 4 mortos e dezenas de feridos.

E o ministro 'Jamé' entretido, todo este tempo, com crise ou sem crise, a discutir os traçados do TGV...

PM

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

OS CARTAZES DO MARQUÊS

.
Afinal, os rapazes que começam por afixar cartazes no Marquês de Pombal podem tornar-se perigosos:

Neo-nazis preparavam chacina

Desarticulado plano para assassinar Obama
Dois homens conspiravam matar 102 pessoas de raça negra tendo como alvo final Barack Obama, o candidato democrata às eleições norte-americanas do próximo dia 4 de Novembro.

PM

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

SANTA INOCÊNCIA

.
O sr. Alan Greenspan tinha, desde há quarenta anos, a «evidência muito clara de que o mercado livre funcionava muito bem». Durante os dezoito anos em que presidiu à Reserva Federal americana sempre presumiu «erradamente», diz agora, «que o interesse próprio das organizações, nomeadamente dos bancos, era suficiente para que eles protegessem os seus accionistas» e admite, finalmente, que cometeu um erro «ao confiar que o livre mercado pode regular-se a si próprio sem a supervisão da administração».

O resultado das convicções e da acção do sr. Greenspan está à vista. O neoliberalismo afundou-se e afundou-nos, mas a candura da sua auto-crítica comove-me. Que Deus lhe perdoe, como, certamente, terá perdoado à portuguesíssima D. Branca.

PM










POIS, POIS

.
Do 'Diário de Notícias' sem comentários:

Governo deixa atrasar medida anticorrupção

Três meses depois de expirado o prazo legal para a regulamentação de uma lei anticorrupção, que prevê a criação de um registo de procurações irrevogáveis - uma figura usada no crime económico - o decreto continua por publicar. Segundo o ministério da Justiça, o documento está actualmente em fase de audições. Mas a lei é clara - o prazo legal para o Governo proceder ao enquadramento do diploma terminou a 25 de Julho último.

Como o documento está em fase de audições, não poderiam ouvir o João Cravinho?

PM

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

O CANCRO

.
Aí está, mais uma vez, a discussão sobre o financiamento dos partidos.
Ainda não percebi se o PSD vai continuar na construção civil e obras públicas ou se vai mudar de sector. Como também não sei se o PS vai seguir Barros Moura ou Fátima Felgueiras.
Vou esperar para ver de onde vai chegar o mensalão para o centrão.

PM

DE OUTROS

.
O problema é que a falta de preparação dos nossos políticos, a abdicação dos nossos intelectuais, a displicência demencial dos nossos jornalistas e o torpor dos nossos comentadores – levam-nos não só ao desgosto da palavra como à aversão a tudo. Até ao civismo.

Baptista-Bastos
(Jornal de Negócios, 17.10.2008)

terça-feira, 21 de outubro de 2008

AMIZADE

.
Esta nova distinção do Eduardo Aleixo leva-me à publicação do selo e também à adaptação do slogan:
Porque... ter um amigo bom...
Não tem preço!

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

ATACAR À MÁ-FILA

.

Quando um jornal noticia a prisão de um jovem por posse de 6 gramas de haxixe, por norma, não inclui na notícia o nome do pai do detido. Infelizmente, há excepções: o 'Correio da Manhã' e o blogue 'Cibertúlia' acharam por bem associar o nome de Durão Barroso à detenção do seu filho pela prática de um delito menor.

Atacar (politicamente, claro) Durão Barroso é muito fácil. Basta ser frontal e 'pegar' na Cimeira dos Açores e no seu papel de porteiro ou falar da sua vergonhosa deserção do governo para tratar da 'vidinha' em Bruxelas. Aproveitar a leviandade de um filho para o fazer é baixo, é feio, é cobarde.

PM

NOBRE POVO, NAÇÃO VALENTE

.
A repugnância. Do DN sem mais comentários:


Crimes contra mulheres cada vez mais violentos CARLA AGUIAR

Violência doméstica. As associações de defesa dos direitos das mulheres alertam para a crescente brutalidade dos crimes cometidos. A UMAR aponta ainda 32 homicídios registados este ano, até ao presente mês, e a existência de 35 tentativas falhadas. E acusa: "O sistema judicial está a ser cúmplice"Este ano houve 32 homicídios e 35 tentativas falhadas Os crimes contra as mulheres não só aumentaram este ano como estão mais violentos. "As agressões são sempre preocupantes, mas notamos nos últimos tempos uma mudança na forma dos crimes: são mais violentos, mais brutais", disse a presidente da União da Mulher -Alternativa e Resposta (UMAR) ao DN.

PRÉMIO DARDOS


.O meu amigo Eduardo Aleixo resolveu atribuir a este despretensioso blogue o 'Prémio Dardos'. Agradeço, obviamente. O prémio e, sobretudo, a amizade.
Transcrevo:
Com o Prémio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc., que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras.
Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à web.
Quem recebe o 'Prémio Dardos' e o aceita deve seguir algumas regras:
1 - Exibir a distinta imagem
2 - Linkar o blogue pelo qual recebeu o prémio
3 - Escolher quinze outros blogues a que entregar o 'Prémio Dardos'.
Cumpro as regras:
O blogue 'À Beira de Água' há muito que aqui está 'linkado'. Seguem-se os blogues que, agora, distingo com o 'Prémio Dardos':
CAMINHOS DA MEMÓRIA
A TERCEIRA NOITE
MEDITAÇÃO NA PASTELARIA
PUXA PALAVRA
MEMÓRIAS DO PRESENTE
ENTRE AS BRUMAS DA MEMÓRIA
O GRANDE ZOO
ANA DE AMSTERDAM
BIBLIOTECÁRIO DE BABEL
O JUMENTO
PALAVRAS EM DESALINHO
O JACARANDÁ
LÓBI
BLOG 19
PNET LITERATURA.
Tenho dito.
PM


ENCARNADOS

.
Vi, ontem, finalmente!, uma grande exibição da equipa encarnada no estádio da Luz. A minha irmã, que percebe tanto de futebol como eu percebo de missas, estava encantada por ver o Benfica jogar tão bem. Ficou decepcionada quando lhe disse que os encarnados eram de Penafiel...

PM

domingo, 19 de outubro de 2008

VIVER NORMALMENTE

.
Antigamente, isto é, no 'Antigo Regime' (para usar a linguagem politicamente correcta) viver 'normalmente' significava vestir com orgulho a farda da Mocidade Portuguesa (também conhecida por 'Bufa') e desfilar garbosamente no 'Dia da Raça'; passar pela Universidade sem o incómodo da participação na vida agitada das associações de estudantes; ser feliz em Moçambique, ignorando olimpicamente os mortos e os feridos da guerra colonial; fazer um doutoramento na 'democrática Inglaterra' sem notar diferenças essenciais entre a democracia inglesa (mesmo com a repressão sobre o IRA) e a 'democracia orgânica' cá da parvónia; voltar à Universidade como professor sem rasto de solidariedade com os Profs. Lindley Cintra, Pereira de Moura e muitos outros.

Depois do 'vinte e cinco do quatro' (para usar a linguagem preferida de uma certa casta), viver normalmente significa mudar de carro, fazer rodagens, chegar a presidente de partido sem saber ler nem escrever, percorrer os caminhos abertos por eaníssima figura e chegar a Primeiro para gerir fundos europeus e endividamento dos 'populares capitalistas' para as reprivatizações correctoras dos desvarios de setenta e cinco, recolher aos abrigos em tempos de anunciadas 'vacas magras', reaparecer oportunamente e chegar a Presidente à segunda tentativa, passear na Madeira sem olhar para o edifício da Assembleia Regional, vetar leis de acordo com os poderes constitucionalmente estabelecidos.

Enfim, viver normalmente é isto e é um direito que assiste a todos os portugueses.
Quem quiser, pois, que viva 'normalmente', mas que nos poupem aos discursos sobre os hábitos das vaquinhas e aos considerandos sobre a 'lei do divórcio'.


PM

MEMÓRIA


CONVITE

A Direcção da Associação-Movimento Cívico NÃO APAGUEM A MEMÓRIA! convida-o a participar no Colóquio Internacional

TARRAFAL: UMA PRISÃO, DOIS CONTINENTES

que se realiza no dia 29 de Outubro de 2008, a partir das 09,30 horas, no Auditório da Assembleia da República.

(Todos os pormenores aqui ao lado, em CAMINHOS DA MEMÓRIA)

sábado, 18 de outubro de 2008

HERÓIS DO (ULTRA)MAR

.
Para quem já não se lembra do slogan salazarento «Honrai a Pátria que a Pátria vos contempla»:

Um documento oficial do Governo, ontem omitido pelo Executivo num debate parlamentar, afirma que 256 mil antigos combatentes da Guerra Colonial irão ver os seus complementos de pensão reduzidos.

DN de hoje.

PM

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

DE ESPANHA, OS BONS VENTOS QUE NÃO NOS CHEGAM

.
Seria bom que este bom vento de Espanha invadisse Portugal e, já agora, trouxesse até nós o juíz Baltazar Garzón.


El juez de la Audiencia Nacional, Baltasar Garzón, se ha declarado competente para continuar con las investigaciones sobre los desparecidos en la Guerra Civil.
En un auto de 68 páginas, hecho público hoy, asegura que observa delitos "de detención ilegal permanente sin dar razón del paradero, en el contexto de crímenes contra la humanidad".
El juez ha autorizado la exhumación de 19 fosas comunes, entre ellas la del poeta Federico García Lorca a petición de los familiares de las otras dos víctimas fusiladas con el escritor, un banderillero y un maestro de escuela.

Al tratarse de una instrucción por la vía penal, el juez busca a los responsables de la autoría de los crímenes para lo que ha solicitado los certificados de defunción de Francisco Franco y otros 34 altos cargos del Régimen, como el General o Serrano Suñer.
El juez afirma que el delito de desapariciones permanece en el tiempo y sigue existiendo a día de hoy si no se ha dado razón del paradero. Es competencia de la Audiencia Nacional dado que el juez considera que todo comenzó con el alzamiento nacional -que encajaría en el delito contra altos organismos de la nación- delito que no ha prescrito porque está conexo con el de las desapariciones forzosas, que arrastra al otro.
Las denuncias fueron presentadas desde julio de 2007 por 22 asociaciones de memoria histórica y diez particulares que solicitan una investigación sobre las desapariciones, 'sacas', asesinatos, torturas y exilios forzosos que se cometieron a partir de 1936 y por los que, a su juicio, debería responder el Estado dentro del marco actual de las obligaciones de reparación por la violación del Derecho Internacional.
Garzón pidió el pasado 1 de septiembre a instituciones como el Valle de los Caídos, la Conferencia Episcopal Española (CEE), el Centro Documental de Memoria Histórica y a los alcaldes de Madrid, Sevilla, Granada y Córdoba la elaboración de listados de víctimas y la aportación de datos sobre los desaparecidos durante la Guerra Civil.
Posteriormente, amplió la información a los tribunales republicanos creados en la contienda durante la defensa de Madrid, y solicitó a la Conferencia Episcopal Española (CEE) que instara a los obispos a que le enviaran la información solicitada.
La Fiscalía, por su parte, solicitó en febrero pasado la inadmisión a trámite de la querella, al considerar que los hechos prescribieron en 1977, con la aprobación de la Ley de Amnistía, y que en el momento en que se produjeron eran delitos comunes de asesinato, detención ilegal o lesiones, según el Código Penal de la República.

Do jornal 'El Mundo'.

A CRISE CONTINUA

.
Diz o velho ditado que em maré de azar até os cães nos mijam nas calças. E é verdade. Com a economia a estagnar e o mundo das finanças a afundar-se, só nos faltava a crise do futebol. E ela aí está com a derrota da selecção portuguesa frente à Dinamarca e agora com o empate com os herdeiros do camarada Enver Hodja.
E como esta crise é muito séria, por que não decuplicar os prémios de jogo das 'estrelas' para as 'motivar'? Se a Federação não tiver dinheiro, bem pode pedir uma ajudazinha ao Governo. Quem disponibiliza 20 mil milhões para o sistema financeiro também poderá disponibilizar mais mil milhões para o 'sistema' futebolístico. Não se esqueçam que o 'rigoroso' Sócrates fez parte do Governo que esbanjou muitos milhões nos estádios de futebol para o 'Euro-2004'. E a criatura merece uma segunda oportunidade.

PM

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

UM IMPERDÍVEL DISCURSO

.
Descansem as mentes perversas. Este 'post' não vem a propósito da crise dos mercados nem das intervenções públicas para defesa dos interesses privados.
Acontece, simplesmente, que no decorrer de mais uma (espero que seja a penúltima) arrumação de livros reencontrei o Alberto Pimenta e o seu «Discurso Sobre o Filho-da-Puta» (2ª edição - 'Regra do Jogo', 1979). Julgo que o livro, com mais uma ou duas edições, está esgotado, o que é absolutamente lamentável.
Para quem não leu, aqui fica um pequeno extracto para abrir o apetite:

«os filhos-da-puta (e esse é ainda outro traço seu, o terceiro traço distintivo) conhecem-se bem uns aos outros, pelos lugares que ocupam e só podem ser ocupados por eles; deste modo é fácil associarem-se para fazer as coisas mencionadas e outras, muitas outras, públicas e particulares. Por vezes, negoceiam particularmente o bem público; se isto porém é dito publicamente, ofendem-se porque consideram que se trata de uma ingerência na sua vida particular. Todo o filho-da-puta é altamente cioso da sua vida particular, porque a vida particular dos filhos-da-puta é quase sempre, de uma ou outra maneira, pública. Todo o filho-da-puta tem sempre um motivo público para os seus actos particulares e um motivo particular para os seus actos públicos. Todo o filho-da-puta se sente público, dado que se ocupa e preocupa tanto com os outros; no entanto, o grande desejo dele, do filho-da-puta, é alcançar um modo particular de ser público, um modo quase sempre tão particular que é frequente não se saber onde termina o filho-da-puta público e começa o particular e vice-versa, como é óbvio.»

PM

terça-feira, 14 de outubro de 2008

OS PROGNÓSTICOS DO CHERNE

.
Sabe-se, agora e de modo inquestionável, aonde leva a autogestão do sistema financeiro. E também se sabe, agora e só agora, o que, sobre isto, pensa o presidente da comissão europeia: «Assim que tenhamos colocado os mercados financeiros outra vez de pé, temos de assegurar que no futuro eles funcionam adequadamente, em benefício dos cidadãos e das empresas e não para si mesmos».
Palmas. Palmas para quem consegue ultrapassar em profundidade aquele defesa do FCP que só fazia prognósticos depois dos jogos.
Fico à espera do fim da guerra no Iraque para saber o que pensam da dita - e do que a originou - o futebolista e o outro. E já estou preparado para bater palmas, muitas palmas. Ao futebolista e ao outro, obviamente.

PM

A MANCHA HUMANA

Checoslováquia, 1950:
um estudante de 21 anos alerta a polícia comunista para os movimentos suspeitos de um jovem da mesma idade que não conhece. O primeiro tem o nome de Milan Kundera, e tornou-se no maior vulto da literatura checa; o segundo chama-se Miroslav Dvorácek, era um jovem aspirante a aviador, e passou os 14 anos seguintes preso, parte dos quais em regime de trabalhos forçados. O relatório caiu no domínio público este ano e a história foi revelada na edição de ontem da revista checa Respekt, através de uma elaborada investigação assinada pelo Instituto de Estudos de Regimes Totalitários e desmentida horas depois pelo próprio Kundera.

Por norma, cedemos à irresistível tentação de acreditar que por detrás de um grande artista está sempre um grande homem. Enganamo-nos sistematicamente. Este é apenas mais um exemplo.

PM

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

OS APLAUSOS E OS RISOS

.
A protecção pública que os estados europeus decidiram dar aos grandes negócios privados está a deixar os neoliberais em estado de euforia. E não é caso para menos. Só com recurso às notícias de hoje, ficamos a saber que as garantias e apoios públicos dados ao sector financeiro por essa Europa fora atingem números que um portuguesinho, habituado a apertos de tesouraria, tem dificuldade em apreender: em Portugal - 20 mil milhões de euros; em França - 360 mil milhões; em Espanha - 100 mil milhões; na Alemanha - 500 mil milhões. O Reino Unido (da 'terceira via' blairiana) nacionaliza parcialmente o Royal Bank of Scotland, o HBOS e o Lloyds TBS.
O senhor Soros, o Papa, aplaude. O senhor Chavez e o reformado Fidel, provavelmente, riem-se.

PM

CONFUSÕES

.
O Sousa do Primeiro Ministério diz que não disse.
O Fernandes do pasquim 'de referência' interpretou o que o outro diz que não disse.
O Lopes da Reguladora publicou uma versão que o Fernandes do pasquim diz que não versou.

No meio desta confusão, só duas coisas ficam claras: eles definem-se e merecem-se.

PM

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

AVISO (IMPORTANTE) À NAVEGAÇÃO

.

Comunicado à imprensa, Museu da Resistência de Peniche2008/10/9
Preocupada com as recentes notícias sobre a projectada construção de uma pousada na Fortaleza de Peniche, a Associação “Não Apaguem a Memória!” (NAM) solicitou uma reunião ao presidente da Câmara Municipal de Peniche (CMP), a fim de se informar sobre os exactos termos em que o referido projecto está a ser implementado.
Nessa reunião com o presidente da CMP, realizada no passado dia 7 de Outubro, recolhemos informação suficiente para a imperiosa tomada de posição pública, que agora divulgamos:
Face à banalização de locais tão simbólicos como o da ex-PIDE/DGS, transformado em condomínio de luxo, e à total ausência de políticas públicas de preservação da memória da resistência à ditadura Salazar-marcelista, a Associação NAM entende que compete ao Estado o dever de memória, inviabilizando qualquer utilização da Fortaleza de Peniche que não respeite a memória dos antifascistas ali presos, que sofreram anos de tortura e privação dos seus elementares direitos cívicos para devolver a liberdade a Portugal;
Em consequência, a Associação NAM manifesta a sua firme oposição à construção duma pousada na Fortaleza de Peniche, comprometendo-se publicamente a desenvolver todos os esforços e mobilização cívica para que se impeça a transformação das antigas celas em quartos de um qualquer hotel de luxo;
Finalmente, a Associação NAM, constatando que a preservação do Museu da Resistência de Peniche não está garantida no protocolo assinado em 2002 pela Direcção-Geral do Património, pelo Município de Peniche e pela ENATUR, disponibiliza-se, em cooperação com todos os parceiros interessados, a colaborar na procura de soluções que dignifiquem um dos mais simbólicos espaços da luta antifascista.
A Direcção da Associação “Não Apaguem a Memória!”2008-10-08
Associação Movimento Cívico Não Apaguem a Memória! Apartado 3500 1070-995 Lisboa


contacto@maismemoria.org

terça-feira, 7 de outubro de 2008

A QUEDA DO MURO

.
Se as intervenções estatais no sector financeiro que por esse mundo fora se vão sucedendo - Estados Unidos, Alemanha, França, Inglaterra, Bélgica, Luxemburgo, etc., etc., etc.- 'nacionalizando' prejuízos de empresas (comprando 'produtos tóxicos', dizem eles em linguagem cifrada para consumo de labregos) que distribuiram atempadamente os lucros (reais e fictícios) a privados, não são o dobre a finados do neoliberalismo, a queda do neoliberal 'muro' de todas as Wall Streets do mundo, são o quê?

PM

sábado, 4 de outubro de 2008

SUB-MUNDOS

.
António Costa, presidente da Câmara de Lisboa, não gosta da blogosfera que considera um sub-mundo repugnante. Está no seu direito. Já agora, gostava de saber a opinião deste destacado dirigente do PS sobre os 'comentadores' e seus 'comentários' dos programas 'Fátima Lopes' e 'Contacto', sobre o programa 'Toda a verdade' e um outro apresentado por Rita Ferro Rodrigues cujo nome não fixei mas que 'completa' o de Teresa Guilherme.
Para mim, sub-mundo repugnante é 'aquilo' e não sei se não serão gravados nos mesmos estúdios que acolhe a 'Quadratura do Círculo', onde o comentador António Costa manifestou a sua opinião sobre a blogosfera.

PM

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

4 DE JUNHO DE 1977

.
Foi nesse dia, exactamente nesse dia 4 de Junho de 1977 (a Nini aí está e não me deixa mentir) que li de seguida, em estado de duplo encantamento, esse livro fabuloso de Dinis Machado: «O Que Diz Molero».
Hoje, no dia da morte de Dinis Machado, retirei-o da estante para relê-lo pela enésima vez. Deixo aqui um pequeno extracto como se fosse uma homenagem ou uma chamada de atenção:

«E diz: eu, Molero, poseur, ignorante e cabotino, falso íntimo de profundidades várias e outros abismos, correndo há milhares de anos atrás da minha veia caótica, fazendo agulha para os descampados das aferições mais ou menos compartimentadas, distribuindo de passagem lantejoulas literárias em segunda mão, confesso muitas vezes dar comigo, em certas manhãs suspensas, sentado num banco de jardim, vendo as crianças correndo alegremente para a escola, desenhando no ar os gestos da minha antiquíssima imagem, e confesso este espanto, este perfume, esta luz sobre os telhados, esta ave e este céu, este riso e esta cor, este jogo do agarra, estas mãos que tudo querem, esta estampa na sacola, este grito de alegria, esta troca de pedrinhas, este saltitar à chuva, esta água de brincar deste chafariz que canta, este bibe, esta violeta, esta mulher que vai ali, esta mulher que eu amo tanto, este filho que eu lhe dava, este coração que quero, este mundo que começa, este sol que é o primeiro, esta nuvem que se forma, este som que desagua, este sonho que se afasta, este regresso é tarde, esta luz indirecta no vestíbulo, este espelho, oh, este espelho, o ombro já curvado, o olhar turvo, o passo preso, a tosse seca, o tempo atrás deitado ao vento, as cores da vida numa só, o meu próprio estudo em sépia.»

É SÓ DESCODIFICAR

.
Do 'Público' de hoje:

«O Supremo Tribunal de Justiça decidiu suspender a pena de cinco anos de prisão efectiva que as instâncias inferiores tinham aplicado a um militar na reserva, por abuso sexual de uma menina de 12 anos, em Bragança. O arguido beneficiou do novo Código Penal.»

Pois, pois...

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

CONVOCATÓRIA PARA 5 DE OUTUBRO

.

No próximo 5 de Outubro, para comemorar o aniversário da República e os três anos de vida do Movimento Cívico, hoje Associação NÃO APAGUEM A MEMÓRIA!, apelamos à presença de todos no acto público que terá lugar na Rua António Maria Cardoso, a partir das 15.30H, onde um grupo de jovens artistas da Faculdade de Belas Artes evocará, numa tela, ao som de música, a luta dos portugueses pela democracia e pela liberdade.



Ali, naquele muro, queremos que se inscreva de forma duradoura esta memória. Não apenas no acto simbólico de uma efeméride, mas com um Memorial às vítimas da repressão da polícia política da ditadura.



Esta tela marcará o início de uma iniciativa do NAM! para a criação desse Memorial, através de uma subscrição pública que será lançada em breve.



(Do Blogue CAMINHOS DA MEMÓRIA)