quinta-feira, 30 de outubro de 2008

UM IMENSO ADEUS


Com um imenso adeus me estou a despedir de alguns milhares de livros. Alguns deles, companheiros de dezenas de anos, outros, amigos de data recente.
Não lhes lamento o destino. Ficarão todos em boas mãos (de familiares próximos e queridos, amigos verdadeiros, leitores da biblioteca municipal de Beja). Comigo, e até ao inevitável dia do forno crematório, ficarão os meus livros de cabeceira -que são muitos, felizmente.
Está cumprida a primeira fase do plano e entrei agora numa segunda triagem que aproveito para, inspirado nessa personagem ímpar de ManuelVasquez Montalban -Pepe Carvalho- (sem, no entanto, lhes destinar a lareira) me despedir de cada um deles com um comentário, um último olhar, um folhear corrido para recordar uma frase, um verso, um episódio, coisas assim...
Há pouco, topei «O Crocodilo que Voa» - Entrevistas a Luiz Pacheco e lá fui eu reler a parte final de uma entrevista, de 1995, para a revista «Ler»:
Jornalista (João Paulo Cotrim): Mensagem para as novas gerações?
Luiz Pacheco: Puta que os pariu!
Toma...
PM

Sem comentários: