sexta-feira, 23 de junho de 2017

PRÉMIO

Nuno Júdice vence prémio literário em Itália

O Prémio Internacional Camaiore 2017 foi atribuído ao livro de poemas Fórmulas de Uma Luz Inexplicável (D. Quixote, 2012), editado em Itália pela Kolibris.
Público

SUGESTÃO


O SIRESP E SEU INDISFARÇÁVEL CHEIRO A BPN


Problemas com o SIRESP sucedem-se há anos

quinta-feira, 22 de junho de 2017

PODRIDÃO NO LARANJAL

Ajuste Secreto: Ex-presidente do Conselho de Administração do Parlamento detido

Operação Ajuste Secreto decorreu durante o dia de segunda-feira e foram feitas 31 buscar e detidas sete pessoas.
O antigo presidente do Conselho de Administraçao da Assembleia da República, João Moura de Sá, é um dos empresários detidos segunda-feira pela Polícia Judiciária (PJ) do Porto, durante a operação Ajuste Secreto, soube o PÚBLICO.
Próximo do ex-presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, João Moura de Sá, que foi deputado pelo PSD e presidiu à Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Norte (2004 e 2005), é suspeito de crimes de corrupção activa e passiva, prevaricação, peculato e tráfico de influência.
Detido e acusado dos mesmos crimes está o ex-presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, o social-democrata Hermínio Loureiro, e o actual presidente, Isidro Figueiredo, que o PSD escolheu para liderar a lista nas eleições do dia 1 de Outubro.
Público

PROBLEMAS NA LAVANDARIA

Operação Fizz: vice-Presidente de Angola e procurador português vão a julgamento

Público

ANGOLA NÃO É SÓ MPLA


O escritor angolano José Eduardo Agualusa foi distinguido hoje com o prémio literário internacional de Dublin, pela tradução inglesa do romance "Teoria Geral do Esquecimento"

terça-feira, 20 de junho de 2017

JORNALISTAS E GALINHAS

Vamos lá pôr os pontos nos ii: quando falamos de Maria Flor Pedroso, falamos de uma grande jornalista; quando falamos de Judite de Sousa, falamos de uma galinha bem sucedida.

As vítimas dos incêndios e da televisão

"A nauseabunda estetização da catástrofe servida ao espectador — o “belo” cenário trágico resultante das montagens e encenações feitas nos estúdios das televisões — também mostra que alguém, certamente uma equipa, rejubilou com os seus belos alvos que lhes fornecem matéria para uma grande produção a baixo preço, para um filme-catástrofe que não precisa de efeitos especiais, só precisa de uma montagem bem ornamentada e música a condizer. Tudo devidamente sublinhado por textos, legendas e designações (por exemplo, “a estrada da morte”) que remetem para as grandes ficções de Hollywood. Às vezes, sobre essas imagens sobrepõe-se uma voz-off que lê um texto a imitar qualquer coisa de literário, a sublinhar a operação que reduz a tragédia real a uma opereta obscena. A estetização é uma violência exercida sobre as vítimas da catástrofe e, paradoxalmente, tem o efeito de uma anestesia aplicada ao espectador.
Para as televisões, para a maquinaria dos directos e ao vivo, uma catástrofe como esta é um momento do sublime. Se a emergência dessa categoria estética que é o sublime está relacionada com os sentimentos de medo e de terror perante algo que excede toda a medida, é preciso no entanto que a ameaça que eles representam seja suspensa para que da dor nasça o prazer. As reportagens da televisão, muito especialmente as imagens estetizadas que passam a servir de separadores ou de fechos do noticiário, procedem a esta conversão da dor em prazer. São maléficas e eticamente execráveis. Devemos perguntar como é que os jornalistas dos vários canais de televisão se relacionam com elas."

António Guerreiro
Público

SUGESTÃO


segunda-feira, 19 de junho de 2017

OS INCÊNDIOS DA CORRUPÇÃO

Hermínio Loureiro e actual autarca de Oliveira de Azeméis detidos por suspeitas de corrupção

A confirmação da detenção de um ex-autarca e autarca foi avançada esta segunda-feira. A eles junta-se um funcionário camarário e quatro empresários.
Hermínio Loureiro, ex-presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis e vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol, é um dos sete detidos pela PJ do Porto por suspeita de crimes de corrupção, prevaricação, peculato e tráfico de influência, avança o Jornal de Notícias esta segunda-feira. Com ele, foi também detido o actual autarca, Isidro Figueiredo, acrescenta a agência Lusa.Operação Ajuste Secreto realizou 31 buscas, "incluindo cinco camarárias e cinco em clubes locais de futebol".
Público



OS MORTOS QUE FALTAVAM

A questão dos fogos florestais tem sido tratada com alguma ligeireza, mas com muitos milhões de euros, ao longo de décadas.
Agora que já temos os mortos que faltavam, será que o assunto vai ser, finalmente, levado a sério pelo poder político? 

sábado, 17 de junho de 2017

ROMA NÃO PAGA A TRAIDORES

Nunca a direita recolheu tão poucas intenções de voto


Os números da Aximage são arrasadores para o PSD e para o conjunto da direita em Portugal. As intenções de voto no PSD e no CDS estão nos níveis mais baixos de sempre. Em Junho, o PSD fica pelos 24,6%, enquanto o CDS desce para 4,6%.
Jornal de Negócios

O JAVARDO-CHUCHIALISTA

Costa defende expulsão de eurodeputado do PS que chamou "cigana" a deputada

Líder do PS acusa Manuel dos Santos de "preconceitos racistas" e de ser "uma vergonha para o PS".
O secretário-geral do PS, António Costa, criticou nesta sexta-feira o eurodeputado socialista Manuel dos Santos, afirmando que se tornou "uma vergonha para o PS", e defendeu a sua expulsão do partido por "preconceitos racistas".
“Há muito que Manuel dos Santos desonra o seu passado. Hoje tornou-se uma vergonha para o PS. Espero que a Comissão Nacional de Jurisdição rapidamente nos liberte da companhia de quem partilha preconceitos racistas”, afirmou, numa declaração à agência Lusa.
Público

A EMÉRITA IMUNIDADE

Angola vai ter Presidente da República Emérito, com pensão vitalícia

José Eduardo dos Santos terá direito a pensão vitalícia de 90% do vencimento durante o último ano de mandato e terá imunidade criminal e civil.
Público

sexta-feira, 16 de junho de 2017

ISTO NÃO É UMA CRÓNICA, É UM VÓMITO DE INDIGNAÇÃO



Não perdoo à Igreja nunca ter pedido perdão aos portugueses pela sua colaboração activa com a Ditadura e as iniquidades decorrentes dela, a sua total indulgência, desde a primeira hora, com a injustiça, a crueldade, a desigualdade, a intolerância, os campos de concentração
(Tarrafal, São Nicolau)
a monstruosa polícia política, a violência da censura, o desprezo pelas mulheres, a guerra colonial, a perseguição aos estudantes, aos operários, aos camponeses, a desavergonhada defesa dos 
ricos, as missas para as criadas, as homilias em que exortavam à obediência aos patrões, a violência para com os sacerdotes e os bispos que ousaram levantar-se contra o Estado Novo, a forma como abençoaram as centenas de milhares de rapazes mandados para África combater as aspirações dos povos colonizados, mandando capelães abençoar aquele horror, apoiar aquele horror, santificar aquele horror
(eu estava lá e vi)
António Lobo Antunes (Visão)