quarta-feira, 18 de outubro de 2017

O PETRÓLEO VERDE DO CAVAQUISMO




“Manchas contínuas de misturas das duas espécies, pinheiro e eucalipto, infelizmente comuns em situações de gestão deficiente, é a receita, mais cedo ou mais tarde, para o desastre.”

Relatório da Comissão Independente

TERRORISMOS



Os americanos criaram e apoiaram os talibãs, durante anos e anos. Tiveram, como recompensa, três mil mortos nos ataques às Torres Gémeas.

Nós por cá, mais pequeninos e modestos, durante décadas, promovemos a plantação de explosivos sob a forma de pinheiros bravos e eucaliptos. O resultado está à vista: cem mortos nos incêndios de 2017.

OS CORRUPTOS TAMBÉM SABEM MATAR

Malta. Jornalista que investigava Panama Papers morre em explosão de carro

Daphne Caruana Galizia, jornalista que liderava a investigação dos Panama Papers em Malta, morreu esta segunda-feira, depois de o carro em que circulava ter explodido. Segundo o jornal britânico “The Guardian”, terá sido colocado um explosivo no interior do veículo, um Peugeot 108.
Segundo jornais locais como o “Times of Malta”, a jornalista de 53 anos denunciara às autoridades, há quinze dias, estar a ser vítima de ameaças de morte. Daphne Galizia mantinha um muito conhecido blogue onde denunciava, com frequência, casos de corrupção envolvendo políticos. Uma das suas mais recentes investigações visava o primeiro-ministro de Malta, Joseph Muscat, e dois dos seus assessores mais próximos.
Expresso

terça-feira, 17 de outubro de 2017

PORTUGAL 2017

Edição especial Expresso Diário: o regresso ao inferno

SUGESTÃO

Serra dos Milhafres, finais dos anos 40, o Estado Novo resolve impor aos beirões uma nove lei: Os terrenos baldios que sempre tinham sido utilizados para bem comunitário e onde essa comunidade retirava parte vital do seu sustento, seriam agora "expropriados" e esses terrenos utilizados para plantar pinheiros.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

E NÃO HAVERÁ POR AÍ UM EXTINTOR QUE OS EXTINGA DE UMA VEZ POR TODAS?



Sobre a Protecção civil tenho aprendido umas coisas:

1 - São todos 'dótores', alguns da mula ruça;

2 - Sabem tudo de incêndios, menos preveni-los e combatê-los.



A SEITA DO REI MIRDAS



Bacelar de Vasconcelos - mais uma vítima do toque mágico do rei Mirdas.

OH MAR $ALGADO, QUANTO DO TEU $AL $ÃO LÁGRIMAS DE PORTUGAL

Cabana de praia de Ricardo Salgado cercada por marcos retirados da Comporta

Revoltados, os habitantes quiseram sinalizar o autor moral de mais uma tentativa de apropriação do espaço público.

A resposta popular à “afronta” tentada pela empresa Herdade da Comporta S.A — uma empresa do Grupo Espírito Santo (GES) detida pela Rio Forte — não se fez esperar. Sete marcos arrancados do areal entre as praias do Pego e da Comporta ao longo da última semana foram colocados em redor da cabana de colmo que tem dado sombra às férias de Ricardo Salgado, família e amigos na praia do Pego. A acção pretendeu simbolizar a revolta “contra os que pretendem só para si uma praia que é de todos”, comentou ao PÚBLICO quem assistiu ao desenlace da acção.
Público

domingo, 15 de outubro de 2017

CINE PARAÍSO

VIDA DIFÍCIL PARA MOTOQUEIROS & ENGILEIROS

CDS-PP critica orçamento que "torna mais difícil subir na vida"

DN

O VALE DOS LOBOS

Financiamento suspeito foi autorizado em três minutos

Investimento da CGD em Vale de Lobo passou numa reunião da cúpula do banco. Em pouco mais de uma hora foram autorizados 24 negócios

Apesar das bandeiras vermelhas e dos sinais de alerta dados por vários departamentos de análise de risco, o negócio que levou a Caixa Geral de Depósitos a emprestar dinheiro e a investir no Grupo Vale de Lobo foi aprovado numa reunião do Conselho Alargado de Crédito do banco estatal. Num encontro realizado a 25 de outubro de 2006, Armando Vara, então administrador, convenceu o presidente do banco, Carlos Santos Ferreira, e os administradores António Maldonado Gonelha, Celeste Cardona e Francisco Bandeira de que as condições do negócio eram favoráveis ao banco. Segundo a acusação, ao conseguir fazer passar o negócio, ganhou dois milhões de euros que dividiu irmãmente com José Sócrates.
EXPRESSO

sábado, 14 de outubro de 2017

EDIÇÃO ESPECIAL DO 'POVO LIVRE' PATROCINADA PELAS MERCEARIAS DO TIO BELMIRO


O SÓCRATES, O AMIGO PORRAS E O FONDEN

Sócrates quis convencer Maduro a pagar dívida através da RTP

O plano de Sócrates - então membro do Conselho Consultivo para a América Latina da Octapharma - passava por convencer Temir Porras, amigo de Sócrates e então secretário executivo do fundo desenvolvimento da Venezuela - a desbloquear os pagamentos em atraso ao Grupo Lena. O fundo era designado Fondo de Desarollo Nacional (FONDEN). 

Contudo, os venezuelanos exigiram uma contrapartida para pagar: que Sócrates gravasse uma mensagem de apoio a Nicolás Maduro utilizável na televisão estatal venezuelana. Sócrates recusou gravar tal mensagem de apoio, que iria servir para legitimar a liderança "de facto" de Maduro no país, que começara em 2013. Contudo, o antigo primeiro-ministro disse que estaria disposto a elogiar Maduro no seu espaço de opinião na RTP aos domingos - e depois, disse Sócrates ao telemóvel, a Venezuela poderia "dar o tratamento que eles entendessem à declaração".

SERÁ O 32?

Como a Elos ganhou 149 milhões sem fazer um centímetro de TGV

Acusação do MP revela pormenores sobre como José Sócrates terá interferido diretamente num concurso público

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

BOAS NOTÍCIAS

A poesia de Rui Knopfli regressa às livrarias portuguesas com duas antologias

A poesia de Rui Knopfli regressa às livrarias portuguesas com duas novas antologias, "Uso Particular" e "Nada Tem já Encanto", que reúnem perto de 200 poemas, dos oito livros do escritor, publicados entre 1959 e 1997.

"Nada Tem já Encanto" sai na sexta-feira, tem pouco mais de 130 poemas, escolhidos por Pedro Mexia, prefácio do ensaísta Eugénio Lisboa, que privou com Knopfli, e chancela da Tinta-da-China. "Uso Particular", publicada pela editora Do Lado Esquerdo, reúne 112 poemas "bastante representativos" (65 em comum com a anterior), "numa escolha muito pessoal" dos editores Maria Sousa e Nuno Abrantes, com prefácio do escritor António Cabrita.

TALVEZ EMIGRAR

Dizem os mais optimistas que o 'processo marquês' estará resolvido daqui a dez anos.
Vamos, pois, ter a paisagem e o cheiro do esgoto - onde a choldra dos salgados, sócrates, varas, bavas, granadeiros e outra gente de mau porte nasceram e prosperaram - por mais uma década.
É, sem dúvida, chegado o momento de sairmos desta zona de desconforto e optarmos pela emigração.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

TUDO BONS RAPAZES

Comunicado da PGR sobre a acusação da Operação Marquês

O Ministério Público, do Departamento Central de Investigação e Ação Penal, deduziu acusação contra 28 arguidos, 19 pessoas singulares e 9 pessoas coletivas, no âmbito da designada Operação Marquês.
Assim, foram acusados:
JOSÉ SÓCRATES CARVALHO PINTO DE SOUSA, pela prática de crimes de corrupção passiva de titular de cargo político (3), branqueamento de capitais (16), falsificação de documento (9) e fraude fiscal qualificada (3).
CARLOS MANUEL DOS SANTOS SILVA, pela prática de crimes de corrupção passiva de titular de cargo político (1), corrupção ativa de titular de cargo político (1), branqueamento de capitais (17), falsificação de documento (10), fraude fiscal (1) e fraude fiscal qualificada (3).
JOAQUIM BARROCA VIEIRA RODRIGUES, pela prática de crimes de corrupção ativa de titular de cargo político (1), corrupção ativa (1), branqueamento de capitais (7), falsificação de documento (3) e fraude fiscal qualificada (2).
LUÍS MANUEL FERREIRA DA SILVA MARQUES, pela prática de crimes de corrupção passiva (1) e branqueamento de capitais (1).
JOSÉ LUÍS RIBEIRO DOS SANTOS, pela prática de crimes de corrupção ativa (1) e branqueamento de capitais (1).
RICARDO ESPÍRITO SANTO SALGADO, pela prática de crimes de corrupção ativa de titular de cargo político (1), corrupção ativa (2) branqueamento de capitais (9), abuso de confiança (3) falsificação de documento (3) e fraude fiscal qualificada (3).
ZEINAL ABEDIN MOHAMED BAVA, pela prática de crimes de corrupção passiva (1), branqueamento de capitais (1), falsificação de documento (1) e fraude fiscal qualificada (2).
HENRIQUE MANUEL FUSCO GRANADEIRO, pela prática de crimes de corrupção passiva (1), branqueamento de capitais (2), peculato (1), abuso de confiança (1) e fraude fiscal qualificada (3).
ARMANDO ANTÓNIO MARTINS VARA, pela prática de crimes de corrupção passiva de Titular de Cargo Político (1), branqueamento de capitais (2) e fraude fiscal qualificada (2).
BÁRBARA CATARINA FIGUEIRA VARA, pela prática de crimes de branqueamento de capitais (2).
RUI MIGUEL DE OLIVEIRA HORTA E COSTA, pela prática de crimes de corrupção ativa de titular de cargo político (1), branqueamento de capitais (1) e fraude fiscal qualificada (2).
JOSÉ DIOGO DA ROCHA VIEIRA GASPAR FERREIRA, pela prática de crimes de corrupção ativa de titular de cargo político (1), branqueamento de capitais (2) e fraude fiscal qualificada (3).
JOSÉ PAULO BERNARDO PINTO DE SOUSA, pela prática de crimes de branqueamento de capitais (2).
HÉLDER JOSÉ BATAGLIA DOS SANTOS, pela prática de crimes de branqueamento de capitais (5), falsificação de documento (2), abuso de confiança (1) e fiscal qualificada (2).
GONÇALO NUNO MENDES DA TRINDADE FERREIRA, pela prática de crimes de branqueamento de capitais (3) e falsificação de documento (1).
INÊS MARIA CARRUSCA PONTES DO ROSÁRIO, pela prática de crime de branqueamento de capitais (1).
JOÃO PEDRO SOARES ANTUNES PERNA, pela prática de crimes de branqueamento de capitais (1) e detenção de arma proibida (1).
SOFIA MESQUITA CARVALHO FAVA, pela prática de crimes de branqueamento de capitais (1) e falsificação de documento (1).
RUI MANUEL ANTUNES MÃO DE FERRO, pela prática de crimes de branqueamento de capitais (1) e falsificação de documento (4).
LENA ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES, SA, pela prática de crimes de corrupção ativa (2) branqueamento de capitais (3) e fraude fiscal qualificada (2).
LENA ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO SGPS, pela prática de crimes de corrupção ativa (2) e branqueamento de capitais (1).
LENA SGPS, pela prática de crimes de corrupção ativa (2) e branqueamento de capitais (1).
XLM-SOCIEDADE DE ESTUDOS E PRJECTOS LDA, pela prática de crimes de branqueamento de capitais (3) e fraude fiscal qualificada (2).
RMF-CONSULTING, GESTÃO E CONSULTORIA ESTRATÉGICA, Lda, pela prática de crime de branqueamento de capitais (1).
XMI – MANAGEMENT & INVESTMENTS SA, pela prática de crimes de corrupção ativa (1) e branqueamento de capitais (1).
OCEANO CLUBE – EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS DO ALGARVE SA, pela prática de crimes de fraude fiscal qualificada (3).
VALE DO LOBO RESORT TURÍSTICO DE LUXO SA, pela prática de crimes de fraude fiscal qualificada (3).
PEPELAN – CONSULTORIA E GESTÃO SA, pela prática de crimes de fraude fiscal qualificada (1) branqueamento de capitais (1).

CATALUNHA



A República da Catalunha quer dialogar.
Vamos aguardar pela resposta da monarquia espanhola.