domingo, 30 de abril de 2017

CINE PARAÍSO

CHAMEM O INEM!!!




Nuno Crato: "Acho que o Dr Passos é um herói nacional"


DN

OREMOS, IRMÃOS, PELA ALMINHA DE D. JOSÉ CORREIA DA SILVA, BISPO DE LEIRIA, E PELA CABECINHA DO IRMÃO JOÃO CÉSAR DAS NEVES, COLUNISTA DO DN

"Que Nossa Senhora esteve realmente em Fátima sabemo-lo com segurança desde 1930, quando a autoridade competente, o senhor bispo de Leiria, decidiu "declarar como dignas de crédito as visões das crianças na Cova da Iria, freguesia de Fátima, desta diocese, nos dias 13 de maio a outubro de 1917" (carta pastoral de D. José Correia da Silva de 13 de Outubro de 1930)."
João César das Neves
DN

sábado, 29 de abril de 2017

UM IMENSO ADEUS



Cronista e resistente. Morreu Nuno Brederode Santos

SANTAS MULTAS

"Ainda sou do tempo (Cavaco) que a visita do Papa, além de tolerância de ponto, dava perdão das multas de trânsito. Isso é que era! O que eu gostava mesmo é que o Papa ainda fizesse aquele milagre de tirar multas de trânsito quando vinha a Portugal. Era espectacular. Fosse pecador, ou não, lá iam várias multas de estacionamento para o inferno. Seis meses antes da visita do Papa, eu estacionava em cima de estátuas porque já sabia que aquilo ia ser tudo desculpado graças a um senhor que vivia num bairro chique em Roma."

João Quadros
Jornal de Negócios 

AS CLAQUES

Investigação liga líder dos Super Dragões a rede de droga



A detenção de 'Vítor do Ouro' agitou o combate ao tráfico de droga na Invicta e pode envolver ainda Fernando Madureira. (SAPO DESPORTO 27.12.2015)

Líder da Juve Leo detido pela Polícia Judiciária

Mustafa, líder da claque Juve Leo, foi detido na operação que foi levada a cabo pela Unidade Nacional de Contra-terrorismo da Polícia Judiciária. (SAPO DESPORTO 3.3.2015)

O que se sabe sobre o caso do adepto morto na Luz





sexta-feira, 28 de abril de 2017

OS MOÇOS DE FRETES

"Depois de uma era de jornalistas e diretores de jornais cheios de ambições políticas, os Portas ou Rebelos de Sousa, em Portugal as administrações começaram a promover os jornalistas de pequenas ambições, mais de natureza económica. Como acontece no resto da sociedade, também na imprensa a componente política teve de se subordinar aos interesses financeiros. Os diretores deixaram de ser personagens políticas e começaram, em muitos casos, a ser "funcionários de carreira jornalística" à espera de chegar a um cargo num grupo empresarial ou numa fundação e que, pelo caminho, vão colocando as fake news necessárias.
(...)
Em Portugal, no - à época - principal jornal económico do país, assisti a um diretor que entrava pela redação e mandava os jornalistas a recibo verde fugir pelas escadas de incêndio, porque estava a entrar no edifício uma inspeção de trabalho. O mesmo diretor, que mais tarde foi trabalhar para a PT, sempre que uma pequena revista do mesmo grupo escrevia um artigo crítico sobre a PT aparecia, esbaforido, a dizer que assim não dava, que íamos ter problemas. E os problemas vieram: a pequena mas rentável revista foi fechada e todos os jornalistas despedidos. Ricardo Espírito Santo Salgado queixara-se à administração por a revista retratar os banqueiros "como se fôssemos vigaristas". E que, se a revista continuasse, tirava a publicidade aos outros jornais do grupo. O jornalismo crítico vende pouco em Portugal."

Miguel Szymanski
DN

LER MAIS: http://www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/convidados/interior/fake-news-e-mentiras-a-portuguesa-6247310.html

MEMÓRIAS DA POCILGA

Ministério Público acusa José António Saraiva de devassa da vida privada

Em causa está o relato de factos da vida privada de Fernanda Câncio
Público

FELIZMENTE HÁ EDITORES


É oficial, a Guimarães deixa de ser a editora de sempre de Agustina Bessa-Luís e a Relógio D'Água assume a sua publicação.

DN

DIVULGAÇÃO


quinta-feira, 27 de abril de 2017

O CANELEIRO-MOR, O TAL DA 'BARDAMERDA', FALOU E DISSE


"O futebol é um mundo de paixões e rivalidades, mas temos que saber separar os criminosos de adeptos."

Bruno de Carvalho
DN

SUGESTÃO


DIVULGAÇÃO


quarta-feira, 26 de abril de 2017

O FADO FRANCÊS

Na vida real, os eleitores franceses já tiveram de fazer opções entre um ladrão e um fascista (Chirac e Le Pen). Ganhou o ladrão.
Na excelente ficção de Michel Houellebecq, os franceses também preferiram um mulçumano a um fascista na presidência.
Agora, e outra vez na vida real, vão ter de escolher entre um híbrido de plástico, um produto dos 'mercados', e uma fascista (Macron e Le Pen).
De vitória em vitória (até à derrota final?), que se cumpra o fado e se derrote a fascista.

OS CANELEIROS

Presidente do Boavista responsabiliza os "três grandes" pela violência no futebol

Presidente do Boavista denuncia "clima de agressões verbais, pressão, intimidação e autêntica coacção" criado "por representantes directos e indirectos dos chamados três grandes".
Público

O HARMÓNIO DA INCOERÊNCIA (OU DA ABJECÇÃO)

"Só vamos sair desta situação empobrecendo" 


PaSSos Coelho (Jornal de Negócios 25.10.2011)


Expresso 23.4.2017



terça-feira, 25 de abril de 2017

SEMPRE


















25 de Abril


Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

Sophia de Mello Breyner Andresen

segunda-feira, 24 de abril de 2017

DIVULGAÇÃO


A MATANÇA DOS PORCOS


POIS, POIS, OS LIVRINHOS...








“Se não se ler bem, é-se diminuído na cidadania e nas oportunidades”

Teresa Calçada