sábado, 31 de outubro de 2015

DE OUTROS

Ricardo Araújo Pereira - Visão

COMUNICAÇÃO SOCIAL


DIETAS


Não podemos comer carne porque provoca cancro e os cancerosos sobrecarregam o orçamento do ministério da Saúde.
Não podemos comer peixe porque deixamos pegada ecológica.
Estamos, pois, condenados às pastagens.
Mas, nos anos de seca, à falta de erva, comemos o quê? Merda?

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

DISCURSO DA TOMADA DE POSSE (RESUMO ILUSTRADO)


DIVINA INSPIRAÇÃO


Inspirei-me em Jesus que nunca teve medo de se meter com gente pouco recomendável
Assunção Cristas

O TRIO NEO-COELHISTA



E não é que os rapazes ultrapassaram pela direita o 'banqueiro' Fernando Ulrich?

DE OUTROS

O que o PR fez foi dizer que uma parte importante dos portugueses não pode ter acesso ao poder político. Exclui partidos do livre jogo democrático. Ao fazer isso, só havia um passo seguinte a dar: ilegalizá-los, que no fundo é o conteúdo latente da intervenção do PR. 
Pacheco Pereira
RR

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

TESES

A falsa tese da marginalização política da extrema-esquerda

Eis o título da artigalhada de Francisco Assis no 'Público' de hoje.

Merece uma artigalhada de resposta com o título:

A tese verdadeira do reaccionarismo político de Francisco Assis, o chuchialista.




DE OUTROS

O governo dos quinzinhos

Quinze diazinhos. É o tempo que dura desde o anúncio do novo governo até à sua presumível queda. Um governo sem idiotas úteis, mas com inteligentes inúteis. Têm duas semanas para mostrarem o que não valem. A formalidade democrática justifica-se, pois assim será o Parlamento, e não o Presidente, a ejetar quem sabe que não chegará a ser injetado.
Mas o rídiculo de haver ministros de pau no lugar de governantes de osso é a mostra definitiva da bizarria em que estamos. São ministros precários, que não são espantalhos porque nada espantam, mas podem passar os dias a colher mel de abelha para levar para casa. A tomada de posse na próxima sexta feira será um cerimónia de baptismo fúnebre.
Pedro Santos Guerreiro
Expresso

COMUNICAÇÃO SOCIAL (SÉRIE COMENTADORES)



José Manuel Fernandes, o Manuel Maria Múrias do coelhismo acavacado.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

SEM MÁSCARA

"Estou inocente do que nos acusam e assumo o fim da minha greve de fome. Sem resposta quanto ao meu pedido para aguardarmos o julgamento em liberdade, só posso esperar que os responsáveis do nosso País também parem a sua greve humanitária e de justiça. De todos os modos, a máscara já caiu. A vitória já aconteceu
Luaty Beirão

VENCEDORES


FIM-DE-SEMANA CULTURAL


Teresa Morais toma posse como ministra da Cultura, na próxima sexta-feira.
Assim, um dia, já poderá contar aos netos: "Nos gloriosos tempos do cavaquismo acoelhado, ou do coelhismo acavacado, a avó passou férias magníficas no Brasil e na Tailândia. E até passou um inesquecível fim-de-semana no ministério da Cultura".

A NOVA SEITA

                      O santinho da Ladeira

terça-feira, 27 de outubro de 2015

AS ARMAS QUÍMICAS DA INDÚSTRIA ALEMÃ

Comissão Europeia sabia de manipulação de testes de emissões desde 2013

26/10/2015 - 14:06
Bruxelas foi avisada há dois anos que indústria automóvel contornava os testes de emissões.
Público

MENOS ESTADO, MAIS POTE

Uma centena de "boys" nomeados com o Governo já em gestão

ALEXANDRA FIGUEIRA
 | Hoje às 00:30
Desde o dia 5 de outubro até à sexta-feira passada, o Governo fez publicar em "Diário da República" perto de uma centena de nomeações de dirigentes para cargos intermédios na Função Pública, que não têm de passar pela CReSAP, a Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública.
JN

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

VERDE, MADURO OU MUITO?

Vai sendo tempo de a RTP3 obrigar os comentadeiros 'desportivos' a soprar no balão, antes da entrada em estúdio. É que desconfio que um deles, quiçá em gesto eivado por salazarento patriotismo, bebendo vinho, ajuda a dar de comer a um milhão de portugueses, mas anda a fazê-lo com excesso de zelo...

CONFISSÕES DE UM CANALHA

Blair admite relação entre invasão do Iraque e aparecimento do Estado Islâmico

PÚBLICO e AFP 
O antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair reconheceu que há “elementos de verdade” na ideia de que a invasão do Iraque, em 2003, contribuiu para o aparecimento do autoproclamado Estado Islâmico (EI).

PORNO-NACIONALISMO

Regulador pede mais porno luso


ERC diz que Hot TV tem de emitir mais conteúdos nacionais. 

 A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) pediu à Hot TV, único canal português de conteúdos para adultos (disponível em todas as plataformas de televisão paga), para emitir mais "programas em língua portuguesa" e mais "produção europeia e independente". Numa deliberação sobre a "avaliação intercalar da autorização" para a emissão deste canal, o regulador "sensibiliza" a Hot TV para "incorporar" mais "obras audiovisuais" deste género "na sua programação", uma vez que se assistiu a um "retrocesso" na emissão de conteúdos de origem nacional e europeia nos últimos anos. Neste campo, a ERC considera que "os percentuais" de produção portuguesa "situam-se aquém das previsões legais", embora reconheça que tal decorre "da especificidade do mercado de produção".
CM

domingo, 25 de outubro de 2015

A INDIGNIDADE DO COSTUME

Corria a guerra colonial e o sangue e a morte corriam na guerra colonial. E ele foi muito feliz na sua comissão em Moçambique.
Havia os fortes de Caxias e de Peniche. E, nos fortes de Caxias e Peniche, havia muitos presos políticos. E ele declarava à PIDE a sua integração no regime vigente.
Depois, havia um regime democrático com as instituições a funcionar. E, para ele, essas instituições eram as forças do bloqueio.
E com ele veio a 'democracia de sucesso' cuja bandeira maior foi o BPN.
Finalmente, mais de um milhão de portugueses votou à esquerda. E ele, em nome dos tratados internacionais e dos interesses dos 'mercados',  condenou ao exílio interno vinte por cento dos eleitores.
Ele suportou, durante quarenta anos, um regime democrático com a resignação de um doente crónico à espera que um medicamento milagroso lhe acabe de vez com a doença. 
Ele chama-se Aníbal António Cavaco Silva e está a despedir-se da vida política com a indignidade com que sempre a viveu.

O CARDEAL CEREJEIRA NÃO DIRIA MELHOR



"Viva a Constituição e Deus guarde o Presidente Cavaco Silva."

Rui Ramos
Observador

O REGRESSO DO MÁRTIR


Numa conferência sobre política e justiça em Vila Velha de Ródão onde foi o único a falar, Sócrates comparou a sua prisão à prisão de Luaty Beirão em Angola.

Expresso

sábado, 24 de outubro de 2015

DE OUTROS

"Pergunto-me se um homem que nunca fodeu pode ser um bom escritor."

António Lobo Antunes

El País

COMUNICAÇÃO SOCIAL (SÉRIE COMENTADORES)



José Gomes Ferreira, o Medina Carreira dos pequenitos.

ESTIMATIVA DE CRÉDITO POLÍTICO: 0%

Devolução da sobretaxa de IRS:

Estimativa antes das eleições: 35%

Estimativa depois das eleições: 9%

LAMAÇAL



Os brasileiros têm o Silva e o pantanal.
Nós temos o Silva e o cavacal.

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

MANIFESTO ANTI-ALFARROBA

A trética e cavacal figura é a maior e mais persistente nódoa da II República.

 Pim!


LEMBRETE

“Quando Cavaco fala sentimos um mau hálito político”

Nuno Morais Sarmento
(2010)

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Carta ao Presidente da República de Angola


Carta ao Presidente da República de Angola


Exmº Senhor Presidente da República de Angola,
Eng. José Eduardo dos Santos

Os abaixo-assinados integraram, em 1970-1971, na qualidade de réus e de advogados destes, o Processo nº 44/70, do 4º Juízo Criminal de Lisboa, vulgo Tribunal Plenário da Boa Hora.

Nesse processo, o Governo colonial-fascista português e a sua polícia política, a PIDE, acusaram 10 jovens – quase todos naturais de Angola – de desenvolverem “actividades atentatórias da segurança do Estado” e de colaborarem com “movimentos terroristas” “para fazer com que, por meios violentos e com o auxílio estrangeiro de países inimigos de Portugal, se separe da Mãe Pátria aquela parcela de Território Nacional (Angola)”.

Nessa ocasião, em 21 de Outubro de 1970, o representante em Argel do MPLA, Castro Lopo, leu, aos microfones da rádio “A Voz da Liberdade” um apelo do Movimento em que dizia: “Sob a acusação de conspiração contra a segurança do Estado português, assistimos na realidade ao processo sumário de todo um povo de mais de 5 milhões de homens, nessa hora submetidos a tribunais e leis que nunca recohecemos como legítimos.” O MPLA exortava todos os que escutavam, portugueses como angolanos, à solidariedade com os réus do Tribunal Plenário de Lisboa: “Que cada um de vós não se furte às responsabilidades que lhe cabem por cada um dos dez acusados sentados no banco dos réus. Que cada um de vós se sinta responsabilizado pelas centenas de angolanos que definham e morrem em campos de concentração, em Cabo Verde ou em Angola. Que cada um de vós se sinta responsabilizado pela sentença condenatória que vai ser lida e que foi decidida em vosso nome.”

Passaram 45 anos, e a prisão em Angola de Luaty Beirão e outros jovens que contestam o regime acorda em nós a memória desse processo em que fomos réus e advogados. Na acusação que lhes é feita encontramos o eco da que nos foi feita quando lutávamos pela independência de Angola, as “actividades atentatórias da segurança do Estado”. Mas na nossa consciência ecoam também as palavras do Apelo do MPLA: não, não nos furtamos à responsabilidade que nos cabe perante esses jovens encerrados nas prisões de Luanda, culpados de lutarem por um sonho que era também aquele que afirmávamos no Tribunal Plenário de Lisboa: o de um futuro livre, feliz e progressivo para todos os filhos de Angola independente. O sonho dos pais fundadores do Movimento Popular de Libertação de Angola. Não podemos furtar-nos à responsabilidade que nos cabe por não termos conseguido cumprir esse sonho, por não termos deixado aos jovens esse país que sonhámos.

Passaram 45 anos, Senhor Presidente, mas não nos esquecemos. E queremos acreditar que também o Senhor Presidente recorda ainda a sua juventude e os sonhos daquela a que Pepetela chamou A Geração da Utopia. É em nome dessa memória, Senhor Presidente, e com o mesmo amor por Angola que nos fez enfrentar a PIDE e o Tribunal Plenário, que lhe solicitamos a imediata libertação de Luaty Beirão e dos seus companheiros de prisão.

Para maior certeza de que esta carta chegará à sua atenção, permitir-nos-emos dar-lhe pública divulgação.
21 de Outubro de 2015

Diana Andringa
Manuel Macaísta Malheiros
Maria José Pinto Coelho da Silva
Mário Brochado Coelho 

(Do blogue "Entre as Brumas da Memória")

CUIDADO! A ESQUERDA TEM ARMAS QUÍMICAS!




Barroso alerta que maioria de esquerda é "brincar com o fogo"
DN

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

HOJE, AMANHÃ E DEPOIS



É muito provável que, hoje, a tétrica e cavacal figura indigite o chefe da coligação de extrema-direita para formar governo e que, dentro de dias, lhe dê posse. São formalidades sem importância.
Importante, importante será o que o régulo do Poço de Boliqueime fará depois de essa trupe ver chumbado, na Assembleia da República, o programa de actuações para os próximos quatro anos. 

DE OUTROS



OPINIÃO

A direita está triste porque acabou o apartheid

Golpe de Estado? E o que diria Ferreira Leite se Costa defendesse uma suspensão da democracia durante seis meses?  ("Público")

Confirma-se. Triste e desesperada:




OPINIÃO

Linhas vermelhas. Vermelhas mesmo

Um entendimento com vista à formação do Governo entre os socialistas e os dois partidos da extrema-esquerda – o Bloco e o PCP – é um passo negativo, francamente negativo, para a democracia.  ("Público")

terça-feira, 20 de outubro de 2015

PETIÇÃO

Ver Petição Apoie esta Petição. Assine e divulgue. O seu apoio é muito importante.

Pela intervenção do Governo português na libertação de Luaty Beirão/For the intervention of the Portuguese Government in the liberation of Luaty Beirão

Para: Exmº Ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete/ Exmº Embaixador português em Angola, João da Câmara

O cantor e activista político Henrique Luaty Beirão é angolano, mas é também um cidadão português ilegalmente detido no estrangeiro. Sabemos que está disposto a dar a vida por causas maiores, como a da liberdade e justiça. Também sabemos que a sua morte pode estar próxima, na sequência da sua longa greve de fome. É obrigação constitucional, ética e moral do Governo português não permitir que aconteça. Temos consciência das dificuldades e complexidade das relações diplomáticas entre Angola e Portugal. Porém, nenhum valor pode erguer-se acima da defesa dos Direitos Humanos. E este é um caso de Direitos Humanos. É imperativo que o Governo português tome uma posição e publicamente exija a imediata libertação de Henrique Luaty Beirão. É também obrigação do Governo português comunicar a sua posição a toda a CPLP bem como a toda a comunidade mundial empenhada na defesa dos princípios da liberdade e da igualdade. Portugal não pode persistir como testemunha silenciosa e passiva de um lento assassinato político sem se tornar seu cúmplice.

Post scriptum: desde que este texto foi escrito, Henrique Luaty Beirão renunciou publicamente do apoio das autoridades portuguesas. Luaty Beirão está em luta pelo povo angolano e deseja ser tratado como cidadão angolano. A sua posição é compreensível e louvável, prova da sua determinação, coragem e abnegação. Ainda assim, entendemos que as autoridades portuguesas não podem, sob pretexto algum, demitir-se das suas obrigações

English version: Singer and political activist Henrique Luaty Beirão is Angolan, but he is also a Portuguese citizen illegally arrested abroad. We know he is willing to give his life for greater causes, such as those of liberty and justice. We also know that his death, after his long hunger strike, may come soon. It is the constitutional, ethical and moral obligation of the Portuguese Government to not allow that to happen. We are aware of the hardships and complexities of the Angolan-Portuguese diplomatic relations. Yet, no value can rise higher than that of the defense of Human Rights. And this is as matter of Human Rights. It is imperative that the Portuguese Government takes a stand and publicly demands the immediate liberation of Henrique Luaty Beirão. It is also the obligation of the Portuguese Government to communicate this stand to the all CPLP community as well as to the entire world community committed to the defense of the principles of liberty and equality. Portugal cannot persist as the silent and passive witness of a slow political murder without becoming its accomplice.

Post scriptum: since this text was first written, Henrique Luaty Beirão has publicly renounced the support of Portuguese authorities. Luaty Beirão is fighting for the Angolan people and desires to be treated and judged as an Angolan citizen. This stand is understandable and praiseworthy as evidence of his determination, courage and abnegation. Even so, Portuguese authorities may not, under any pretext, resign their obligations


Almeida Faria, escritor
André E. Teodósio, actor e encenador
António Pinto Ribeiro, ensaísta e programador cultural
Bruno de Almeida, cineasta
Catarina Martins, deputada, líder do Bloco de Esquerda
Gus van Sant, realizador
Inês de Medeiros, deputada e realizadora
Jacques Rancière, filósofo
Joaquim de Almeida, actor
Jorge Silva Melo, encenador e realizador
José Bragança de Miranda, ensaísta
José Gil, filósofo
Maria de Medeiros, actriz e realizadora
Paulo Furtado, músico
Pedro Costa, cineasta
Rui Chafes, escultor
Rui Tavares, historiador e político, líder do Livre
Stan Douglas, artista plástico
Vanessa Rato, jornalista
Víctor Erice, cineasta 

DE OUTROS



Luaty e a vergonha Angola-Portugal

ALEXANDRA LUCAS COELHO

1. Não sei como José Eduardo dos Santos dorme à noite. Não sei como Isabel dos Santos dorme à noite. Não sei como milhares de homens e mulheres de negócios dormem à noite. Não sei como o Governo português dorme à noite. E o PCP podia arranjar melhor companhia do que o governo português nesta matéria, a greve de fome de Luaty Beirão. Milhares de comunistas portugueses presos, torturados e mortos em nome da liberdade merecem muito mais.

A 'TERCEIRA VIA' PARA O CRIME

Blair comprometeu-se com Bush atacar o Iraque um ano antes da invasão


O antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair ter-se-á comprometido a juntar-se aos Estados Unidos na Guerra do Iraque um ano antes da invasão de 2003, indicam documentos obtidos pelo jornal Mail on Sunday, divulgados este domingo.
jn

domingo, 18 de outubro de 2015

REVISITAR VICHY




"Prefiro os credores aos comunistas"

António Barreto

DN 






DE OUTROS

Mas o que dizer dos eufemismos usados nos últimos tempos pelo poder em Angola para lidar com as oposições, nomeadamente com os 15 presos políticos (são 16, mas um foi já condenado e está preso em Cabinda) que insiste em manter nas suas prisões? O primeiro foi usado na detenção de manifestantes. Acusada de os prender, vieram explicar que a polícia angolana apenas os “recolheu”. Coitados, ali nas ruas, desprotegidos, bem precisavam de ser recolhidos… Como é que ninguém se tinha lembrado disso? Mas esta semana o refinamento eufemístico atingiu o auge quando a televisão pública angolana, TPA, se referiu pela primeira vez à greve de fome de Luaty Beirão, cuja libertação tem sido exigida com insistência e à escala internacional. Disse a locutora de serviço, sem usar uma só vez o termo “greve de fome”, que Luaty estaria debilitado porque… passou a ter um comportamento diferente em relação aos alimentos. Extraordinário! O que dirão de um espancado? Que tem um comportamento não-resistente em relação à força física? Ou que foi fisicamente corrigido? E o que diriam de um morto? Que tem um comportamento diferente em relação à vida?

Tamanha hipocrisia tem raízes em tudo o que, na distorção do pensamento, é mais abjecto.

Nuno Pacheco

Público

sábado, 17 de outubro de 2015

DE OUTROS


A culpa da ruína intelectual vem de muito longe. Um jovem rei, estúpido e louco, que sofria de espermatorreia e fora educado por um cardeal que aos oitenta anos se alimentava do leite verdadeiro que sugava dos peitos de uma nutrida ama, arrastou consigo para o desastre a reduzida elite portuguesa. Séculos de inquisição e décadas de fascismo fizeram o resto.

João Botelho
CM

PRESIDENCIAIS


“Marcelo Rebelo de Sousa, Marques Mendes, todos os observadores da direita apoiaram a candidatura da Maria de Belém”
J. Pacheco Pereira

LAVANDARIA PORTUGAL

Eurodeputados pedem investigação sobre investimentos de Isabel dos Santos em Portugal

LUSA e PÚBLICO 
16/10/2015 - 15:22
Grupo de quatro eurodeputados, que inclui a socialista Ana Gomes, pediram à Comissão Europeia para analisar aquisições da empresária angolana, incluindo a da Efacec.
Um grupo de eurodeputados do Intergrupo Parlamentar para a Integridade e Transparência defendeu hoje a investigação da compra da Efacec e de outros investimentos em Portugal pela empresária angolana Isabel dos Santos.
Um comunicado da delegação portuguesa no Grupo dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu, refere que quatro eurodeputados do Intergrupo Parlamentar para a Integridade e Transparência, incluindo a eurodeputada portuguesa Ana Gomes, pediram à Comissão Europeia, à Autoridade Bancária Europeia (ABE), ao Banco Central Europeu (BCE) e ao Grupo de Acção Financeira Internacional (GAFI) para que "averiguem, no contexto das suas competências, a legalidade da compra da empresa portuguesa Efacec pela Senhora D. Isabel dos Santos, filha do Presidente angolano José Eduardo dos Santos, face à legislação europeia anti-branqueamento de capitais".

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

OS PASTORINHOS DO RATO (OU OS RATOS DA PASTORÍCIA?)


"A Esquerda espalhará os seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas.”