quarta-feira, 30 de setembro de 2009

RECAÍDA


Confesso por ser verdade: nos idos de sessenta e setenta do século passado, do milénio passado, sempre que o 'Venerando Chefe do Estado', popularmente cognominado 'Cabeça de Abóbora', discursava, sentia vergonha por ver no topo do Estado português criatura de tal estofo político.
E confesso por ser, igualmente, verdade que, ontem, quando a cavacal figura 'declarava' à Nação, voltei a sentir o mesmo.
Será sina?

O FUTEBOL É QU'INDUCA


A peça de fino recorte literário que se transcreve não foi retirada da última declaração ao país da cavacal figura nem da resposta do ministro Irmã Lúcia (o tal que sabe os segredos mas só os partilha com o Papa). Faz parte do relatório de um árbitro de futebol. Recebi por e-mail e transcrevo por entender que merece atenta leitura:

"O jogador da equipa visitada, Micolli, desmandou-se em velocidade tentando desobstruir-se no intuito de desfeitear o guarda-redes visitante. Um adversário à ilharga procurou desisolá-lo, desacelerando-o com auxílio à utilização indevida dos membros superiores, o que conseguiu. O jogador Micolli procurou destravar-se com recurso a movimentos tendentes à prosecução de uma situação de desaperto mas o adversário não o desagarrava. Quando finalmente atingiu o desimpedimento desenlargando-se, destemperou-se e tentou tirar desforço, amandando-lhe o membro superior direito à zona do externo, felizmente desacertando-lhe. Derivado a esta atitude, demonstrei-lhe a cartolina correspectiva."
.
Ah, grande Xistra, a continuares assim, ainda acabas vereador da cultura do Santana Lopes!
 

terça-feira, 29 de setembro de 2009

1908


.
A guerra das escutas, entre Belém e S. Bento, cada vez mais me faz lembrar a 'Guerra de 1908', do Raul Solnado.
(E perdi eu dez minutos do jogo Barcelona - Dínamo de Kiev para ouvir o Venerando Chefe do Estado...)

SILÊNCIO


.
.
.
Os submarinos voltaram à superfície. Mas, enquanto me lembrar de Amaro da Costa, sobre o assunto, nem uma palavrinha...
Para risco de vida, dois anos na guerra da Guiné chegaram.

DE OUTROS


O QUE É QUE TRAZES AÍ NO SACO DO MINIPREÇO?
.
Livros. Trago livros. Algum problema? Sim, o leitor vive hoje uma espécie de melancólica clandestinidade. Falo do leitor que gosta, que tem o hábito e a extravagância de comprar livros - não o leitor que espreita obras alheias no metro da Avenida. Aquela cada vez mais rara figura que passa pelas livrarias como quem passa pelo café da esquina e que, uma, duas vezes por mês, traz uns volumezinhos para casa - de livralhada recente ou antiga. Porque lhe apetece. Porque alguém um dia vai ficar com eles. Porque é importante subsidiar os escribas e as suas sogras. Mas o leitor, esse leitor, chega aos seus aposentos e tem muitas vezes de apanhar com a frase indignada no cultivado focinho: «Tantos livros aí para ler! Porque é que andas sempre a comprar novos?!» Sobre esta situação, tragicamente vivida por tantas almas solitárias e sensíveis, obrigados a atirar para o lixo sacos da Bertrand, da FNAC, da Pó dos Livros e da Trama e a trocá-los por sacos de supermercado e de mercearia, só consigo registar o seguinte: amigos, amigas, animais de estimação, os livros podem ser aperitivos. Um tipo pode depenicar um parágrafo aqui, outro acolá. Há até livros que só estão na estante para a gente passar por eles e reler vezes sem conta os seus bizarros títulos ou então mirar as suas belas e musculadas lombadas. Não, os livros não são como a papa. Nem sempre são para comer até ao fim. E, também por isso, nunca são demais.
.
NUNO COSTA SANTOS
.
(LER)

PARABÉNS, MAFALDA


O TABU DE CURRAL DE MOINAS


Sobre o já enjoativo tema das 'escutas', a cavacal figura nem 'coiso' nem sai de cima.
Hoje, às 20 horas, o ilustre filho de Poço de Boliqueime falará à imprensa. Já estou em frente da pantalha para não perder pitada.
Adoro ver tabus quebrados no 'Telerural' e em directo.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

A NOVA MAIORIA



96 + 21

RESCALDO


.
«Não vamos ser hipócritas, esta direcção política não tem condições para continuar, acho que é um consenso no partido e um consenso nacional.»
.
Luís Filipe Meneses
.
Público

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

BLOGUE ENCERRADO TEMPORARIAMENTE PARA MEDITAÇÃO


NOTÍCIAS DA PIOLHEIRA


«Os dirigentes socialistas José Lello e António Braga são acusados de oferecerem cargos políticos em troca de financiamento partidário com o empresário Licínio Bastos, avança a TSF.
A estação de rádio adianta que a acusação partiu do antigo cabaça-de-lista socialista pelo círculo Fora da Europa, Aníbal Araújo, que também teve a sua campanha financiada pelo empresário português Licínio Bastos, que chegou a estar detido no Brasil, no âmbito da 'Operação Furacão'.»
.
DIÁRIO ECONÓMICO

CAMPANHA ELEITORAL P'RA SOPEIRAS, MAGALAS, PESSOAL DAS DOCAS E TIAS DA LINHA




CONVITE


.
.
.
Vamos, ressuscitados, colher flores!
Flores de giesta e tojo, oiro sem preço...
Vamos àquele cabeço
Engrinaldar a esperança!
Temos a primavera na lembrança;
Temos calor no corpo entorpecido;
Vamos! Depressa!
A vida recomeça!
A seiva acorda, nada está perdido!
.
MIGUEL TORGA
.
.
.
.
Fotografia: Graça Serrão

NOTÍCIAS DA PIOLHEIRA


DIAGNÓSTICO


.
Com estas análises clínicas, o doente manifesta claros e graves sintomas de doença de Alzeimer e distorções acentuadas na coluna vertebral, apresentando esta uma curvatura de 38 graus para a frente que o obriga a uma posição desconfortável e que convida a actos de sodomização. Instado a pronunciar-se sobre a fotografia de primeira página do «Diário Beneditino», o doente revelou-se incapaz de distinguir a pose elegante e 'sexy' do manequim da atitude cabisbaixa e vencida da vizinha, o que indicia um problema oftalmológico e uma evidente dificuldade de compreensão.
Perante o quadro clínico presente, recomenda-se um 'check up' no Serviço Nacional de Saúde.
(É melhor ir já para a lista de espera para conseguir consulta antes de Setembro de 2013).

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

POLUIÇÃO SONORA


Já não posso ouvir falar da gripe 'A'.
Diariamente, os pivots dos telejornais nos informam sobre a contabilidade dos infectados, com um entusiasmo maior do que põem na notícia da medalha de prata do Nelson Évora.
Finalmente, a notícia de um morto agitada como uma vitória nacional.
Chega! Mudem de assunto, PORRA!

NÃO HÁ DUAS SEM TRÊS


Quando Fernando Nogueira foi desmentido por Cavaco, em plena campanha eleitoral, Guterres agradeceu.
Quando Pedro Santana Lopes pinoteava em S. Bento como se estivesse num concurso da SIC, Cavaco publicou o célebre artigo da boa e má moeda. Sócrates agradeceu.
Agora, e com a demissão do Lima, com dezoito meses de atraso e uma semana de avanço, chegou a vez de Manuela Ferreira Leite. Sócrates volta a agradecer.
E os sapos, fartos de serem engolidos, também agradecem por terem sido substituídos pelos punhais.

UM IMENSO ADEUS


«A inflação literária que, por todos os lados, nos está assaltando caracteriza-se por um lamentável exercício do devaneio literato, apimentado com inúmeras referências irresponsáveis a filósofos ou escritores que morreriam de vergonha se ressuscitassem para ver-se citados em contextos tão crassamente ignorantes e tão descaradamente suficientes. Estes contextos preenchem colunas cerradas das páginas ditas literárias e, se a gente não se precata, está lendo de enfiada a coluna do lado, pertencente a outro artigo ou a um conto imensamente poético, sem dar por isso... É que todas as superficialidades são idênticas, todas as contrafacções se assemelham. E de versos nem é bom falar.
A cultura tem de ser procurada fora do círculo vicioso da criação e da crítica exclusivamente literárias, que, por si sós, não só não dão cultura a ninguém, como fornecem aos pouco exigentes uma pedantaria totalmente vazia de conteúdo. E, sem cultura dolorosamente conquistada e impiedosamente esclarecida, não há literatura que não seja falsa, não seja uma perigosa e dissolvente escola de cinismo e de servidão degradante. Porque o homem como indivíduo não pode ter a pretensão estulta e criminosa de bastar-se a si próprio - e é nesse postulado que assenta o exercício de uma literatura entregue a si mesma. Só os escravos se bastam a si próprios».

O VOTO DA VERGONHA (MAIS UM)


Depois do indecoroso apoio dado à reeleição do porteiro da 'Cimeira da Vergonha' para a presidência da União Europeia, José Sócrates resolveu apoiar o egípcio Farouk Hosny para a directoria-geral da Unesco.
Acontece que o candidato é o primeiro responsável pela censura no Egipto e pretende queimar todos os livros de israelitas que encontrar na biblioteca de Alexandria.
Perante a recusa de Manuel Maria Carrilho, embaixador na Unesco, em votar em tão sinistra criatura, o governo socretino exerceu o seu direito de voto pela mão de um diplomático e acéfalo manga-de-alpaca.
Perdeu. Foi eleita a búlgara Irina Bokova.
Haja Deus!
(Bom, também não se pode ganhar sempre, não é? Ainda há dias, numa eleição promovida pelo 'Correio da Manhã' para o 'Mais Sexy', assistimos a uma retumbante vitória socretina).

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

BILHETE POSTAL


Briatore, meu filho,
.
A FIA baniu-te da 'Fórmula 1' por práticas esquisitas. A Federação Inglesa de Futebol estuda a possibilidade da tua irradiação. Ingratos!
Mas não te preocupes. Sei de um país que te receberá de braços abertos e onde poderás retomar as tuas actividades 'desportivas' (digamos assim) e, quem sabe, iniciar uma fulgurante carreira política.
(Olha, como sabes, a vida custa a todos e se queres saber o nome do país das maravilhas, tens de me mandar 'algum' adiantado para despesas de expediente).

CAEM QUE NEM TORDOS


.
.
BPN
.
CTT
.
CONSELHO DE ESTADO
.
CASA CIVIL

NOTÍCIAS DA PIOLHEIRA


.
.
«CAVACO SOB PRESSÃO»
.
(Manchete do 'Público')

CARTAZ OU MENU?


.
.
A mensagem do cartaz deixa-me confuso.
Fico sem saber se este tipo quer ser eleito ou se quer ser comido.
(Sugestão de letra para o hino da campanha:
Grândola vila morena...
Terra da bacalhauzada...)

terça-feira, 22 de setembro de 2009

NOTÍCIAS DA PIOLHEIRA


GALERIA


OS LIVROS ARDEM MAL


Farouk Hosny, ministro da Cultura egípcio, responsável pela censura, tem dois sonhos: ser secretário-geral da UNESCO e queimar, pessoalmente, todos os livros israelitas da Biblioteca de Alexandria.
Manuel Maria Carrilho recusou-se a votar na criatura.
O governo socretino fez-se representar por um diplomata do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Edificante.

NOTÍCIAS DA PIOLHEIRA


O sol brilha. Os passarinhos cantam nas árvores. O Sporting ganha ao Olhanense. O Pinto da Costa recita poesia. A vizinha Manuela tem sapatos com segredos. O Manequim continua elegante. O Fernandes continua director. O Silva continua presidente. Reina a Paz nos cemitérios.
A vida continua normalmente...

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

GRAFIAS


.
.
O Lima e o Fernandes não são socretinos. São só cretinos.

AI, PORTUGAL, PORTUGAL


Se Portugal fosse um país muito decente, hoje Jaime Gama teria assumido interinamente as funções de Presidente da República.
Se Portugal fosse, ao menos, um país decente, Cavaco Silva teria anunciado, hoje mesmo, que não apresentaria a sua recandidatura a um segundo mandato presidencial.
Mas Portugal não quer ser nem uma coisa nem outra. Portugal é Portugal e quer continuar a ser Portugal. Que é como quem diz: oitenta e nove mil quilómetros quadrados de área pantanosa e, o que é pior, com dez milhões de bípedes que aí gostam de chafurdar.
(Aos cinzentos, cinzentinhos e cinzentões do 'politicamente correcto' peço que recordem Willy Brandt e as razões do fim da sua carreira política).
E interrompo aqui porque vou vomitar. Até já.

GALERIA








A GARGALHADA DO DIA


«O SEGREDO DOS SAPATOS DE MANUELA»
.
Manchete do 'Jornal de Negócios'

DE OUTROS


SÓCRATES É O PIOR PRIMEIRO-MINISTRO DESDE 1985
.
O actual primeiro-ministro, José Sócrates, vai a votos no próximo domingo. Ainda que as sondagens lhe dêem uma ligeira vantagem sobre Manuela Ferreira Leite, de uma coisa não se livra: do rótulo de pior primeiro-ministro desde 1985, ano em que Portugal aderiu à CEE.
Sócrates é apontado por 27% dos inquiridos (num total de 800 entrevistados) como o pior chefe do Governo da era europeia, batendo por quatro pontos percentuais o seu antecessor, Pedro Santana Lopes. Esta é uma das principais conclusões do estudo exclusivo que a Exame encomendou ao Gabinete de Mercado e de Opinião, do IPAM (Instituto Português de Administração e Marketing).
.
EXPRESSO online

DE OUTROS


«A política tornou-se num nojo. Talvez sempre tenha sido. Mesmo antes de Maquiavel. Eu porém fui formada num tempo em que a política trazia consequências.
Perdoem-me o desabafo, mas é que venho de uma família que passou pelo Hospital de Caxias e pelo Forte de Peniche.
Longe de mim apologizar os good old times. Verdade, verdadinha é que só quando as coisas apertam é que dá para perceber a qualidade dos bichos.
Vem isto a propósito do número das escutas à Presidência. Um plot de quinta categoria cujo timing noticioso não podia ser mais óbvio.
Até ao dia das eleições não se prevêem melhoras no argumento. Será o vale tudo. Mas o que devia sublinhar-se é que, apesar da luta ser de morte, todos irão sobreviver após 27 de Setembro. Com mais tacho ou menos tacho. Com mais jobs ou menos jobs. Ao menos, no tempo em que a política trazia consequências, o risco sempre era sério. E a sério.
Nos dias que correm apoia-se a destruição de um país porque uns tipos inventaram que nele se escondiam armas de destruição maciça e ainda se é reeleito. Presidente da Comunidade Europeia, que não fazem a coisa por menos. Com os votos do PSD somados aos do PS.
Ora vão todos bardamerda e enfiem as vossas escutas num sítio que eu cá sei! E excuse my french.»
.
Texto do blogue 'MEDITAÇÃO NA PASTELARIA'
Foto da exposição 'O OLHO DO CU', no Museu de Serralves

domingo, 20 de setembro de 2009

UM IMENSO ADEUS


«Eis o tempo em que os meus olhos se embriagam nos reflexos prateados do rio poluído. - Tempo em que é preciso acreditar num amor qualquer, tempo que voa, imagem louca, translúcida, tempo de madrugadas indistintas onde passeio a minha solidão. Assim se apreende, o minuto crucificado, do tempo que corre cinzento, nas manhãs incertas em que somos apenas tempo de vida e de morte!»
.
IDALÉRIO VAZ FERRO

PERGUNTA INOCENTE


Jorge Sampaio acaba de publicar «O Meu Livro de Política», obrinha destinada a criancinhas com idades entre os oito e os catorze anos.
Num gesto generoso que os portugueses agradeceriam, o autor não poderia enviar uns exemplares autografados para os Palácios de Belém e S. Bento?

REDISTRIBUIÇÃO DE PAPÉIS


A novela das escutas e outras vigilâncias seria apenas ridícula se não fosse grave, muito grave.
Vejamos: se a vigilância de S. Bento a Belém existe ou existiu realmente, o caso é gravíssimo e só pode ter como consequência a demissão do sucessor do almirante Pinheiro de Azevedo. Se, pelo contrário, se trata de uma inventona de Belém, o caso é gravíssimo e deve levar à renúncia do sucessor do almirante Américo Thomaz.
Bom, de qualquer modo e em boa verdade, a farsa montada e em exibição, é um espectáculo triste que se deve à pobreza do guião e à falta de talento dos actores.
Com efeito, a dimensão dos actores recomendaria a atribuição de outros papéis: a cavacal figura não deveria ter ido além de um lugar de regedor na freguesia de Poço de Boliqueime; ao ideólogo do socialismo sem caroços nem grainhas, ficaria bem um posto de caixeiro numa loja de plásticos, em Vilar de Maçada, acalentando o sonho de chegar a balconista da 'Fashion Clinic'.
E, já agora, aos actores secundários também deveriam ser atribuídos novos papéis: a vizinha Manuela deveria estar a cartear uma valente canasta com a tia Cilinha Supico Pinto, trauteando o hino 'Angola é Nossa'; o director do 'Diário de Notícias' faria de engraxador, no Rossio, em frente do extinto café 'Paço' a gritar crónicas dos jogos de futebol do Atlético e do Oriental; o director do 'Público' apareceria, neocon e anafado, a imitar o Ramiro Valadão e a escrever editoriais para o jornal da paróquia da Zona 'J' de Chelas e ao Lima dos jornais atribuir-se-ia o papel de ardina a apregoar os 'Ridículos' à porta dos 'Pastéis de Belém'.
Vá, digam lá, uma comédia assim não era muito mais gira?

NOTÍCIAS DA PIOLHEIRA


sábado, 19 de setembro de 2009

DE OUTROS


«Ao que parece, o Estado de direito, que por aí hipoteticamente existe, acabou por se transformar num manicómio (para não lhe chamar pior), onde as grandes personagens se traem e vigiam como num romance popular americano. E o país tolera o intolerável, com equanimidade e deleite.»
.
VASCO PULIDO VALENTE
.
(PÚBLICO)

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

UM IMENSO ADEUS


.
« Ainda está por escrever um tratado sobre o choro das mulheres; o que julgamos ser uma expressão de ternura, às vezes, é uma expressão de ódio, e as lágrimas mais sinceras costumam ser derramadas por mulheres que só se comovem com elas mesmas.»

PRESIDÊNCIAS


A Presidência da República desconfia da Presidência do Conselho. Coisas menores - vigilâncias diversas.
A Presidência do Conselho desconfia da Presidência da República. Coisas menores - bufarias diversas para a comunicação social.
É a grandeza dos políticos menores. É o regular funcionamento das instituições.
P'rós abrigos!

A GARGALHADA DO DIA


«SÓCRATES DIZ QUE FERREIRA LEITE TEM UM PROBLEMA DE CREDIBILIDADE»
.
SOL

NOTÍCIAS DA PIOLHEIRA


quinta-feira, 17 de setembro de 2009

PORTUGAL DE VERDADE


TURISMO CULTURAL


Roberto Saviano, o célebre e super-protegido autor de 'Gomorra', estará, no sábado, na Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira para uma conferência sobre criminalidade internacional intitulada 'Máfias e Mercado Global'.
Consta que a lotação da sala estará esgotada com excursionistas de Braga, Marco de Canaveses, Felgueiras, Cova da Beira, Nazaré, Guarda, Oeiras, Alcochete, por ex-administradores de bancos, titulares de contas 'off-shore' e assessores especializados.
Espera-se, após a conferência, animado debate entre o conferencista e os assistentes, todos reconhecidos peritos na matéria.

NOTÍCIAS DA PIOLHEIRA


VOTOS A 25 EUROS NO PSD
.
«O voto num determinado candidato pode custar 25 ou 30 euros. O PSD tem sido marcado por tantas disputas internas nos últimos anos, para a direcção nacional e para a distrital de Lisboa, que para melhorar o resultado eleitoral houve quem comprasse votos a militantes angariados em bairros sociais, denunciam militantes e ex-militantes do partido que aceitaram dar a cara fazendo depoimentos em vídeo para a 'SÁBADO'.»
.
SÁBADO

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

DE OUTROS


«Mas, de facto, quando eu tenho o caso Freeport e tu tens o caso BPN, quando eu tenho o caso Manuela e tu tens o caso Marcelo, quando eu tenho o caso Fátima e tu tens o caso Isaltino, torna-se complicado andar a atirar certo tipo de pedras para o telhado do vizinho. E por isso, os dois pilares do regime democrático que mais têm sido postos em causa durante o consolado de Sócrates - os poderes judicial e mediático - têm-se mantido de fora do debate, exceptuando dois ou três esgares de indignação para inglês ver.»
.
JOÃO MIGUEL TAVARES
(DN)