domingo, 20 de dezembro de 2015

PRESIDENCIAIS

[DIABRURAS DO MENINO MARCELETE]

"Entrava no escritório organizado do sogro e mudava-lhe a disposição dos papéis. A mãe telefonava depois aflita a Ana Cristina: "A menina faz uma pequena ideia do que se passou aqui ontem? Nós achamos que foi o Marcelo..." Era capaz de esconder a carteira da sogra durante um jantar num restaurante e de se ir embora divertido com a confusão que se ia instalar a seguir. Uma vez, a sogra andou dias à procura das pantufas. Quando contou à filha e a filha contou a Marcelo, ele fartou-se de rir. Tinha metido os chinelos num saco de plástico e andava com eles na mala do carro."

In: "Marcelo Rebelo de Sousa", Vítor Matos, Esfera dos Livros, Lisboa 2012

Sem comentários: