segunda-feira, 22 de Julho de 2013

DA ABÓBORA À ALFARROBA - UM SALTO HISTÓRICO

Talvez influenciada pelos ventos contestatários da época, em 1968, uma cadeira subversiva fez a Salazar o que os anarquistas não tinham conseguido em 1937: afastá-lo de cena.
O venerando marido de D. Gertrudes Thomaz viu-se obrigado a exonerar o pré-cadáver e a sentar na cadeira sem conserto um Caetano anunciador de primaveras.
Cinquenta e cinco anos depois, a inevitável farsa sobe aos palcos: o presidente do Conselho é alvo de um atentado levado a cabo por uma dupla irrevogável e improvável - Bonnie e Clyde, disfarçados de Catherine Deneuve e Bin-Laden.
E que faz o venerando marido de D. Maria Silva? Agarra o pré-cadáver pelas orelhas e volta a sentá-lo na cadeira sem conserto.
Pois fiquem a saber: estas pequenas 'nuances' é que tornam evidentes as diferenças entre uma vulgar abóbora menina e um genial saco de alfarrobas.

Sem comentários: