terça-feira, 25 de julho de 2017

OS ABUTRES INSACIÁVEIS

Mortos. Tragam-lhes mortos. De Pedrógão Grande, de Castanheira de Pera, de qualquer sítio.
Dêem-lhes mortos reais ou inventados. Queimados, atropelados ou 'suicidados'.
Mortos, muitos mortos. Eles são o alimento dos inventores da 'Baleia Azul' e dos abutres.
Mortos, mais mortos. Depressa!

1 comentário:

Daniel Nobre Mendes disse...

A Canalha- JORGE DE SENA

"Como esta gente odeia, como espuma
por entre os dentes podres a sua baba
de tudo sujo nem sequer prazer!
Como se querem reles e mesquinhos,
piolhosos, fétidos e promíscuos
na sarna vergonhosa e pustulenta!
Como se rabialçam de importantes,
fingindo-se de vítimas, vestais,
piedosas prostitutas delicadas!
Como se querem torpes e venais
palhaços pagos da miséria rasca
de seus cafés, popós e brilhantinas!
Há que esmagar a DDT, penicilina
e pau pelos costados tal canalha
de coxos, vesgos, e ladrões e pulhas,
tratá-los como lixo de oito séculos
de um povo que merece melhor gente
para salvá-lo de si mesmo e de outrem."


PAssOS E CRISTAS SUICIDEM-SE DE PRESSA POR E PARA ALIVÍO DO PAÍS- RÁPIDO, JÁ!!!