domingo, 30 de julho de 2017

HÁ SEMPRE UMA BOA RAZÃO PARA LER UM LIVRO

"Uma história que Herberto Helder costumava contar. Quando a Gulbenkian tinha bibliotecas itinerantes, uma vez no Alentejo profundo uma camponesa requisitou três livros: 'Se Isto É Um Homem', 'Estética' e 'A Mulher de Trinta Anos'. Confundido com escolhas tão eruditas, o funcionário inquiriu delicadamente das razões: Primo Levi era para perceber o marido, Hegel para se pôr bonita e Balzac para se entender a si própria. Conclusão: cada um lê aquilo que lhe calha melhor."
Ana Cristina Leonardo
'E'/ Expresso

Sem comentários: