quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

A OESTE NADA DE NOVO

Os 254 refugiados que morreram depois de os EUA lhes barrarem a entrada em 1939

A identidade das vítimas que viram a sua entrada recusada está a ser recuperada através de uma conta no Twitter para "lembrar as lições que devemos retirar da História".
Estávamos a meses do início da II Guerra Mundial, em 1939, quando a Administração Roosevelt recusou receber os passageiros do St. Louis, um navio com 937 refugiados da Alemanha. O grupo, na maioria judeus que fugiam ao nazismo, foi obrigado a regressar à Europa. Muitos acabaram por morrer em campos de concentração nos anos seguintes. Os nomes e rostos das 254 pessoas mortas estão a ser partilhados através de uma conta no Twitter, criada por dois judeus norte-americanos, que recorda a tragédia que se seguiu para aqueles passageiros do navio quando as portas dos EUA se fecharam.
Com a primeira publicação a arrancar na véspera do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, a conta surge na mesma semana em que o Presidente Trump assinou um decreto para limitar a entrada de refugiados e suspender a entrada de cidadãos de sete países de maioria muçulmana
Liliana Borges
Público

Sem comentários: