domingo, 4 de setembro de 2016

UM IMENSO ADEUS


Morreu Maria Isabel Barreno, uma das “Três Marias”


Foi uma das autoras de Novas Cartas Portuguesas, uma das obras mais perseguidas pela ditadura e que abriu caminho para o debate sobre a igualdade de género.
A investigadora e escritora Maria Isabel Barreno morreu neste sábado, aos 77 anos, confirmou ao PÚBLICO uma amiga. Barreno foi, com Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa, uma das mulheres julgadas no processo que ficou conhecida como as “Três Marias”, em 1972.
As três autoras publicaram Novas Cartas Portuguesas, um livro perseguido pelo regime do Estado Novo e acusado de ter teor pornográfico. O julgamento durou dois anos e foi seguido de perto pela imprensa internacional. A conclusão do caso ocorreu já depois da Revolução de 25 de Abril de 1974 e as três escritoras foram absolvidas.

1 comentário:

Daniel Nobre Mendes disse...

Política e Moral- QUE REQUINTADO CARROCEIRO, DIGO EU ATÉ À MINHA DECREPITUDE!!!

Não sabemos se haverá ingenuidade em desejar moral na política e se não terá havido em qualquer nação governantes em que o carácter e a dignidade pessoal tenham julgado de um dever entrar também na vida pública, regrando processos de administração. Não sabemos.
O que sabemos é que a desordem e imoralidade políticas têm um efeito corrosivo na alma das nações. E o abastardamento do carácter nacional não pode deixar de influir no desenvolvimento e progresso de um povo, sob qualquer aspecto que o queiramos considerar.

António de Oliveira Salazar, in 'O Ágio do Ouro, 1916