terça-feira, 6 de setembro de 2016

DIVULGAÇÃO



PRESS RELEASE

A INSCRIÇÃO DOS DIAS
CARTAS PARA Q.
de
PEDRO MARTINS


A GUERRA COLONIAL, A CRÍTICA DA SOCIEDADE DO ESTADO NOVO, UM CORAÇÃO QUE SOFRE.
UM LIVRO ARREBATADOR.
PREFÁCIO DE FRANCISCO BELARD

O LIVRO

Em 1971, Portugal continuava a travar uma guerra inútil, que durava havia já uma década. Na Metrópole, a uma economia que acusava o esforço do conflito, juntava-se mais um atentado da Acção Revolucionária Armada, que destruía quase três dezenas de aviões e helicópteros da Força Aérea, em Tancos.
Do porto de Lisboa continuam a sair barcos carregados de militares. Num deles, o Niassa, com destino à Guiné, vai o narrador desta obra. E se o coração vai já apertado de saudades de Q., o seu amor, daquele território não chegavam notícias animadoras – o PAIGC estava já equipado com mísseis, fornecidos pela União Soviética, e a guerra não parecia ter um fim à vista.
Percorrendo os grandes temas de um país perdido na sua história (o salazarismo, a PIDE, o Tarrafal), os sentimentos mais genuínos (o amor, a solidariedade), mas também um quotidiano cruel, os medos e os fantasmas de uma geração, A Inscrição dos Dias – Cartas para Q. é uma obra intensa, uma descida aos infernos e, em simultâneo, um acto de libertação.

PEDRO MARTINS

Irremediável soixante-huitard (low profile), nasceu em Beja, em 1949. 
Estudou no Liceu da cidade natal e frequentou universidades (Bélgica, Portugal). Trabalhou na banca e no mundo dos livros.
Colaborou em inúmeras publicações, de que são exemplo os jornais Diário de LisboaPontoNotícias da AmadoraDiário do AlentejoNotícias do Sul ou Voz do Povo (2ª Série) e na revista Alentejo.
Esteve dois anos (entre 1971 e 1973) na Guerra Colonial, na Guiné, experiência que está na génese deste livro.
Páginas: 96
Preço: 11 Euros
Editor: Edições Parsifal
ISBN: 978-989-8760-28-9



NAS LIVRARIAS A PARTIR DE AMANHÃ!

7 comentários:

José Leão Correia disse...

Querido amigo,obrigado por teres publicado.
Claro que quero um exemplar, devidamente autografado.
Um abraço.

nuno alves ferreira disse...

Sinto-me sinceramente muito feliz! A sério! Sabe bemb que sim. Depois de ler umas quantas cartas, disse -lhe que valia a pena um livro e... ei-lo. Obviamente que o vou comprar e "exigir" um autógrafo do escritor. Parabéns e um abraço muito muito apertado e amigo meu e da Ana

Eduardo Aleixo disse...

Parabéns bom Amigo.
Não houve apresentação?
Estou fora do pais.
Quando regressar terei o maior prazer na aquisição do teu livro, cuja publicação sempre estimulei e me deixa muito contente.
Até breve.
Abraço.

Daniel Nobre Mendes disse...

SEM PALAVRAS!!!

Luis Trinite disse...

De um alentejano, como o é Pedro Martins, o que tenho desde já como certo é, a verdade, o sentimento e grande gosto de o ter feito. Grande abraço!!

matilde disse...

Parabens, primo, pelo teu livro! As criticas q tenho ouvido, såo boas e, se fores um escritor como és leitor, o segundo nåo tardará. Um beijinho.

Ana Maria Capaz disse...

Que grande surpresa!!!! SURPRESA porque não sabia que se tem dedicado a uma obra mas, analisando bem, seria expectável que, um dia destes, depois de tantos anos no " estado de graça", lhe fugisse o tempo para aquilo de que mais gosta - LIVROS.
POde claramente contar comigo. Muitos Parabéns