terça-feira, 23 de agosto de 2016

O CAMPEÃO OLÍMPICO

Feyisa Lelisa não conseguiu a medalha de ouro para a Etiópia na maratona masculina do Rio de Janeiro, mas esta segunda-feira todas as notícias se concentram nele. O atleta que arrecadou a medalha de prata graças a um tempo impressionante levantou os braços, formando com eles um “X”, quando cruzou a meta da prova – e teme que isso lhe custe a liberdade ou até a vida. Feyisa não sabe se pode voltar em segurança ao seu país, mas com um gesto conseguiu que toda a gente visse o que ali se passa há anos: as mortes de críticos do Governo, as detenções arbitrárias e as repressões de liberdades num país que se diz cada vez mais desenvolvido

1 comentário:

Daniel Nobre Mendes disse...

ENTÃO, UM PAÍS DITO DEMOCRÁTICO, DEVE ABRIR-LHE AS PORTAS DA SOLIDARIEDADE E DA INTEGRAÇÃO PARA SALVAGUARDAR UMA VIDA QUE, NÃO SÓ PORQUE É UMA VIDA HUMANA MAS TAMBÉM PORQUE ESTE ATLETA PODE FAZER MUITO MAIS PELO SEU PAÍS FORA DELE DO QUE DENTRO DELE!-DÁ-SE ABRIGO A TANTOS FILHOS DA MÃE!...

A DEMOCRACIA DEVE PROVAR-SE E A LIBERDADE DEVER REALIZAR-SE, OU NÃO?!