terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

A TRISTE E BARRETAL FIGURA


"Mau, diz o Bloco. Péssimo, grunhe o PCP. Não chega, rosna a UE". É assim, assim mesmo, sem chá nem verniz, que fala Barreto, o António, finíssimo intelectual da nossa praça,  residente distinto do sofisticado bairro da Lapa, sobre a feitura do Orçamento do Estado, na sua artigalhada semanal, no jornal de 'referência' do conceituado empresário angolano, senhor Mosquito. 
Será só mais uma cena de ódio de quem se esqueceu da esmerada educação recebida na Suiça? Será que adoptou a linguagem foleira do 'Jornal de Angola' para agradar ao patrão? Ou será só azia provocada pelas borras do tinto?

1 comentário:

Arp disse...

...não havia nexexidade de chamar à colação Angola, o Jornal de Angola, o Jornal onde escreve e nem o seu Mosquito proprietário... o Barreto produz por conta propria, sem grande esforço, o suficiente para encher vários baldes da dita, quanto mais não seja para agradar a quem lhe enche o garrafão de tintol...